menu
publicidade
publicidade

Escreve Aí

O blog é voltado para o público amador ou profissional, que escreve na linha da poética, seja prosa ou poesia (poemas, crônicas, contos curtos, haicai, aldravias, vaivém…)

A luz do amor

A luz do amor

Isabel Cristina Silva Vargas (Acervo da autora).

A LUZ DO AMOR

A luz do amor resplandece acima de tudo.
Ela é sublime, única, poderosa.
É um poder para o bem, para a segurança.
A luz do amor percebe-se ao simples olhar.

O amor é universal, entendido por todos.
Observe-se o olhar da mãe para o filho recém-nascido.
São faróis de luz a iluminar seu rosto quase imaculado.
A luz transcende às imagens e é captada por todos.

Observe-se o rosto do anjo a sugar o seio materno.
Ele conecta-se a ela pelo amor que o acolhe e satisfaz.
Sua imagem é pura luz que os envolve e se expande.
Linguagem imagética universal.

Dois enamorados a andar no parque.
Quem os vê percebe o brilho do olhar.
É ele que reflete a luz que transcende seus corpos.
Alguma dúvida? É a luz do amor a iluminar os interlocutores.

O que mantém junto dois seres com cabelos prateados?
O tempo, o costume, o companheirismo?
Sim, tudo isto e o fundamental. O brilho do olhar!
A luz que resplandece e os faz reconhecerem-se.

Luz de Deus, do infinito, que brota da energia universal
Capaz de transformar estranhos em íntimos
Por reconhecerem-se através da luz que brota do seu interior.
A mais sublime de todas, a luz universal do amor.

Isabel Cristina Silva Vargas
Pelotas (RS)
17/5/2016


FORTUNA CRÍTICA

“A luz do amor” pode ser entendida como a poética do valor humano. A poetisa explana sobre a grandeza do amor. Na segunda estrofe, Isabel Vargas traz a figura da mãe, em que o eu-lírico anuncia o amor como “universal, entendido por todos”, e convida: “Observe-se o olhar da mãe para o filho recém-nascido. / São faróis de luz a iluminar seu rosto quase imaculado. / A luz transcende às imagens e é captada por todos. Com base na Literatura, amparo-me em Jung (2000, p. 101), que afirma: “Mãe é amor materno, é a minha vivência e o meu segredo”; No verso “Observe-se o rosto do anjo a sugar o seio materno”, a poetisa apresenta um universo de imagens e possibilidades, um manancial de interpretações, porque o amor é “Linguagem imagética universal”. Para ela, não há dúvida, o amor é fio que une “O tempo, o costume, o companheirismo”, a fim de nunca esmaecer “O brilho do olhar!”. A poetisa reconhece o amor como sendo “Luz de Deus”, “A mais sublime de todas, a luz universal do amor”.

(Ivone Gomes de Assis)I

Isabel Cristina Silva Vargas

Pelotas (RS). Isabel Cristina Silva Vargas, advogada, aposentada do serviço público, professora, Especialista em Linguagem Verbal, Visual e suas Tecnologias, membro correspondente de várias academias literárias, com participações em centenas de livros e publicações em jornal. Várias premiações.

 🙂

Caro(a) leitor(a),
Para publicar no Escreve Aí
Envie para: escreveai.ivone@gmail.com
Poema (ou crônica até 300 palavras),
nome completo, cidade/UF, 2 fotos,
e, até 4 linhas, sobre você.

🙂

Comentários

Deixe uma resposta

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.