Cidade e Região

Notícias de interesse geral de Uberlândia e região.

6/07/2011 15:01

Casa de encontro no Segismundo Pereira é assaltada

Repórter

Os clientes e funcionários que estavam em um bar, conhecido por ser uma casa de encontros do bairro Segismundo Pereira, zona leste de Uberlândia, foram roubados por três homens armados na madrugada desta quarta-feira (6). Os assaltantes levaram mais de R$ 1 mil em dinheiro, celulares, documentos, cheques e cartões das vítimas.

Os suspeitos entraram no estabelecimento, que fica na rua Doutor José Marçal Neto, por volta da meia-noite. Eles sentaram em uma mesa e pediram uma garrafa de cerveja. Em seguida, dois deles se levantaram, sacaram armas e anunciaram o assalto.

Mediante ameaças, as cerca de 20 pessoas que estavam no local foram rendidas e tiveram quer ficar deitadas no chão. Os assaltantes, depois que recolheram tudo que podiam, entraram em um Corsa prata que esperava do lado de fora e fugiram.

Uma das vítimas, um rapaz de 21 anos, conseguiu reconhecer um dos suspeitos e forneceu nome completo e endereço dele aos policiais. Segundo o jovem, o assaltante havia estudado com um ele no colegial.

Os policiais foram atrás com os dados em mãos, mas não encontraram ninguém. A Polícia Civil (PC) agora deve investigar as circunstâncias e motivações do roubo. A hipótese de que um quarto suspeito tenha participado do crime, dando cobertura ao trio, não está descartada pela polícia.

Noite de terror

Uma das garotas que estava no bar no dia do crime e que não quis ter o nome revelado disse à reportagem que os assaltantes foram bem violentos na abordagem. “Eles chegaram a enfiar o cano de uma das armas que usavam na boca da dona”, disse.

A garota, que tem 21 anos, disse que trabalha no local há um mês e meio e que nunca houve nenhum tipo de problemas até a ocasião, mesmo sem a presença de seguranças. “Outras trabalham há mais tempo e disseram que nunca houve incômodos. Duvido que [o bar] volte a abrir”, disse.

O estabelecimento funcionava no local há exatamente cinco meses e, segundo a polícia, não tinha alvará. A proprietária tentou ser contatada pela reportagem, mas, até o fechamento desta edição, ela não foi encontrada.

Comentários (18)

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

 

  1. denivaldo soares disse:06/07/11 17:33

    Enfiaram a pistola na boca da dona do bordel? Ela não cobrou?

    Responder
    • PHA disse:07/07/11 9:15

      hahaha boa, comico se nao fosse trágico

      Responder
    • atilube disse:07/07/11 17:22

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
  2. PHA disse:06/07/11 17:49

    Casa de encontro? isso deve ter um nome mais popular, mas se for dito, vai ser moderado…

    Responder
  3. Sérgio disse:06/07/11 20:12

    Casa de encontro? Que clichê!
    Atualmente utiliza o nome de casa de massagem ou zona de meretrício.

    Responder
  4. CURIOSO D@ NET disse:06/07/11 20:19

    AGORA AS MENINAS ESTAO SEM EMPREGO,O DO!

    Responder
  5. raphael disse:06/07/11 21:29

    bandido burro!! quando assaltam uma mercearia, padaria…roubam o dinheiro e comem a mercadoria. Nesse caso só roubaram…kkk

    Responder
  6. André Luís de Araújo disse:06/07/11 22:23

    VAMOS DAR NOME AOS BOIS:
    Cafetina: s. f. Mulher que tem negócio de meretrizes.
    Prostíbulo: s. m. – Casa onde se pratica a prostituição. = Alcoice, Bordel, Lunapar.
    CÓDIGO PENAL:
    Mediação para servir a lascívia de outrem:
    Art. 227 – Induzir alguém a satisfazer a lascívia de outrem:
    Pena – reclusão, de um a três anos.
    § 1º Se a vítima é maior de 14 (catorze) e menor de 18 (dezoito) anos, ou se o agente é seu ascendente, descendente, cônjuge ou companheiro, irmão, tutor ou curador ou pessoa a quem esteja confiada para fins de educação, de tratamento ou de guarda: (Redação dada pela Lei nº 11.106, de 2005)
    Pena – reclusão, de dois a cinco anos.
    § 2º – Se o crime é cometido com emprego de violência, grave ameaça ou fraude:
    Pena – reclusão, de dois a oito anos, além da pena correspondente à violência.
    § 3º – Se o crime é cometido com o fim de lucro, aplica-se também multa.

    Responder
  7. Paulo disse:07/07/11 0:06

    Hahahaha, nem as prostitutas (!@#%$) tão perdoando… Acho que casa de encontro foi muito sensível, o melhor termo seria BORDEL mesmo..

    Responder
  8. O Justiceiro disse:07/07/11 0:37

    Que Zona hein?

    Responder
  9. SOLANGE disse:07/07/11 8:57

    Se seu marido perdeu o celular, cartão de crédito ontem, fique esperta é bem provável que ele estava la`RSRSRSR

    Responder
  10. Primo das prima disse:07/07/11 11:11

    Que sorte que eu tive, sai de lá minutos antes que sortudo eu sou…so naum tive sorte
    em ksa, levei um couro da Ritinha

    Responder
  11. Zina disse:07/07/11 12:55

    que tragico eu estva la foi horrivel ja estava quase no ponto de ebulição…

    Responder
  12. rafael disse:07/07/11 13:00

    O problema é achar algum cliente que queira registrar a ocorrência. Pra q ter B.O. em casa tb? kkkk
    Deve tá cheio de cara hoje registrando PERDA de documentos e celular hehehe. rs

    Responder
  13. ricardão disse:07/07/11 13:06

    Ritinha? Conheço muito bem. E como…

    Responder
  14. raf disse:07/07/11 13:11

    Gostei da ironia: “O estabelecimento funcionava no local há exatamente cinco meses e, segundo a polícia, não tinha alvará.”
    Queria conhecer uma zona que tenha alvará. rsrs

    Responder
  15. Zé ninguem disse:07/07/11 13:50

    o assalto não foi so onten não! to vez que eu vou la sou assaltado, R$: 150,00 com o quarto e sem bebida to doido viu…hasauhdush

    Responder
  16. ernesto disse:16/07/11 7:51

    vc leu o q o pessoal disse em baixo sobre zona e eu so disse q passei no local de um acidente e que isso e palavrao
    tudo bem nao participo de suas materias mais obrigado.

    Responder