Cidade e Região

Notícias de interesse geral de Uberlândia e região.

10/11/2011 14:40

Corpo é encontrado às margens do Rio Uberabinha

O corpo do pintor Wonder Marques Pereira, 49 anos, foi encontrado às margens do rio Uberabinha, próximo à ponte da avenida Brigadeiro Sampaio, bairro Jaraguá, zona oeste de Uberlândia, na tarde desta quinta-feira (10). Moradores da região passavam pelo local e acionaram a Polícia Militar.

A família disse aos policiais que o pintor era usuário de drogas e estava desaparecido desde a noite de ontem. A suspeita é que Pereira tenha sido morto cerca de oito horas antes de ter sido encontrado. A Polícia suspeita que seja acerto de contas. Até o momento ninguém foi preso.

Durante o registro da ocorrência, o Corpo de Bombeiros recebeu um chamado de que um outro corpo havia sido localizado no bairro Chácaras Tubalina, zona oeste da cidade. Os bombeiros checaram a região informada por mais de 20 minutos e nada foi encontrado.

Comentários (10)

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

 

  1. The Punisher disse:10/11/11 14:44

    ConexÃo Do Morro

    Puxa fundo vai morrer
    Num segundo quer o que?
    Eu não quero ver o mal
    De um irmão que não sabia o que era crack

    Superior super billy
    Isso te destrói por dentro
    Me corrói quando vejo você
    Querendo ser super herói
    Não gosto da parada ligo os camarada
    Isso traz desgraça
    Escapam não escapam as vezes escapam
    Estão na madrugada dando varias mancadas
    Que loucura
    Quem vive sabe dizer
    Quem morre sabe porque
    Na balada ao amanhecer
    Criptonita prevalece na dupla sobrevivente
    Embalada com medo do sol
    Billy enrolado parece um anzol
    Com sua energia atraente billy sente
    Sua língua ficando dura de repente
    Ao ataque ao ataque
    Overdose o ataque
    Pega uma colher
    Poe de baixo da língua se não ele não escapa

    Grande madureira incentivando vários muleques
    Puta mano errado quase vai o primeiro pivete
    O primeiro pega ficou relax
    O segundo ra já mais esquece

    Mais um
    Nascido e criado na zona sul(na zona sul)
    Rejeitado na favela já foi mais um
    Na periferia só mais um
    Rapaz comum

    Billy billy billy billy pa
    Billy billy billy billy vou já

    Ao passar do tempo billy se recupera
    Tira a colher debaixo da língua
    Vai buscar uma pedra pra você vê billy no role
    E normal sair na capitura de um real
    Sem dinheiro no bolso tem maluco que passa mal
    Cinco na matina seu pai tem que trampar
    Vira a esquina encontra o billy perto do bar do lagoa
    Onde duas semanas atrás mataram um coroa
    “billy! que se faz essa hora no bote?”
    “ai pai sai com umas mina to chegando agora”
    Simplesmente billy mente
    Ele tava no barraco a noite inteira
    Se acabando no cachimbo com o madureira
    Billy no pião se encontra com o cipó
    Cipó com uma na mão já chama pro mocó
    Um dois três, billy não pensa duas vez
    O cachimbo já ta pronto foi cipó que fez
    Billy bate na porta do céu escuta réu
    A sua mãe, a dor bate no peito
    Não tem jeito pra seus amigos entro no crime
    Perdeu o respeito, seu joão revela com dona maria
    Presente o fim de um sonho de ver o billy
    Formado em advocacia
    Como tantas vezes prometia
    Para o seus pais
    Que não mexia com drogas estava bem na escola
    E seus professores era legais
    Dona maria sempre dizia
    Abra o olho joão
    Agora é mais difícil
    Controlar o vicio
    Esta viciado na pedra
    Cada que fita quer mais um pega

    Mais um
    Nascido e criado na zona sul(na zona sul)
    Rejeitado na favela já foi mais um
    Na periferia só mais um
    Rapaz comum

    Mais um vitima, não ficou pista
    Criptonita fase da vida, é assim
    Dura de viver quem vive sabe dizer
    Quem morre sabe porque
    Dona maria pobre velha esquecida na favela
    Seu joão indisposto morrendo de desgosto
    Seu joão é preto velho tem malicia
    Já entregou pra deus, só aguarda noticia
    É triste pro pai, sabe que já se filho vai
    É só compania errada
    Idéia furadas criatura que não valem nada
    O primeiro tomou o bote madureira foi lixado
    Pro lado do inocopi
    Paulada pedrada até choque
    Pelo que fez foi até pouco
    Esse morte judiaram
    Depois deram dois pipoco no coco
    Mais ai já estava morto
    É o final de quem apronta
    Acerto de contas

    Vou já
    Dez em ponto, vamo pro ponto
    É logo ali
    Vamos pegar o busão pro parque
    Ir direto pro aracati
    Tem um festa lá em cima
    Mas antes vamos passar no vaz de lima
    Lá eu soube que cipó já foi
    Um dois não deram boi
    Rápido ninguém viu
    Pow pow pow e já caiu
    Mais um pilantra que subiu
    Em meados de abril
    15 de agosto de um ano qualquer
    É foi a vez do billy
    Morreu pro lado do café
    Amarrado enforcado
    Morreu que nem viado
    Vestido de mulher
    Seu joão não suportou o fato
    Morreu duas semanas depois de infarto
    Dona maria chora todo dia
    Tem saudades da família
    Do seu velho do seu filho
    O terço agora é seu abrigo
    Com ele na mão, pede proteção
    E pede pra ir embora olha para o céu
    E diz que toda vez que chove
    Seu menino que chora

    Pode crer cobra, são varias estórias
    Todos tem lembranças que vem do além
    Nós também, veja bem
    Não é bom pra ninguém
    Aqui na área também tem esse problemas
    Mas também só digo amém
    Élhão não tem rancor de ninguém
    Tudo bem bem bem não é só pra mim
    Conexão do morro manos de bem bem
    Sempre assim som que chapa o coco
    Sandrão também faz parte do jogo

    Da licença vou chegar
    Só pra sumariá
    Todos sabem que se é pra por na ceda
    Então proceda
    Mano sai de mim sem essa de cachimbo
    To tranqüilo, quem é da minha biqueira sabe
    Coletividade a toda parte
    Jardim imbé capão redondo pirituba nem se fale
    Élhão é cumpadre
    Conexão do morro rzo é de praxe

    Mais um
    Nascido e criado na zona sul(na zona sul)
    Rejeitado na favela já foi mais um
    Na periferia só mais um
    Rapaz comum

    “saiam da mirra dos tiras”
    “mais uma bala dum dum”
    “mais um rapaz comum”

    Responder
  2. Coveiro disse:10/11/11 14:54

    Que tosco, não tem limite de caracteres nos comentários… Rap bom esse em mano??? Pqp

    Responder
  3. A morte@net.com disse:10/11/11 15:46

    sei nao. mas derrepente esse ai deve ser amigo daquele que morreu queimado tal de alexandre o cadeirante .que ironia do destino foi fumar pedras junto la no inferno . isso e o que da mexer com essa merda.

    Responder
  4. Joao disse:10/11/11 16:31

    Que palhaçada é essa.. a produçao do jornal tem que tomar providencias de começar a rastrear atravez do email o IP das maquinas que sao escritos os comentarios, e começar a bloquear os comentarios de pessoas inuteis.. Acho q muitos iram concordar comigo.

    Responder
  5. Victor disse:10/11/11 16:40

    Jaraguá é zona leste de Uberlandia?

    Responder
    • Victor disse:10/11/11 17:17

      Jornal.. Arruma ai.. É zona Oeste!

      Responder
  6. CURIOSO D@ NET disse:10/11/11 17:18

    A FAMILIA USOU O TERMO CORRETO:
    “ERA”!!!!!!!

    Responder
  7. Bruh disse:10/11/11 19:05

    Menos um… certeza que não morreu rezando… Detesto quem meche com Drugs…

    Responder
    • alexia disse:26/12/11 15:10

      que comentario idiota//

      Responder
    • alexia disse:26/12/11 15:11

      que comentario idiota//e eu detesto vc;;;

      Responder