Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Cresce prestação de serviços em domicílio

Marcela trocou o consultório, onde atendeu por três anos, pelo atendimento domiciliar

A escolha de prestar serviços em domicílio – antes comum, principalmente, para manicures – ganhou a adesão de profissionais de outras áreas, como fisioterapeutas e massoterapeutas. A possibilidade de trabalhar por conta própria, organizar os próprios horários, não ter de arcar com a administração de um espaço fixo nem com pagamento de porcentagem para um recinto são alguns dos atrativos principais. Além de se mostrar vantajosa para os prestadores, esta modalidade de atendimento tem facilitado a vida de consumidores que querem ganhar tempo e aproveitar a comodidade do lar para se tratar.

A fisioterapeuta neurológica Marcela Almeida, formada há cinco anos, atendeu em clínica por três anos, mas encontrou mais vantagens no atendimento em domicílio. Para ela, que teve o próprio consultório durante seis meses, administrar é caro e toma tempo, enquanto no atendimento em domicílio é fácil controlar os horários e o paciente fica à vontade. “Trato idosos e crianças, que nem sempre têm condição de sair de casa”, disse. Em domicílio, ela afirma que a qualidade do serviço também é melhor e reflete nos resultados do tratamento.

Para a prestação do serviço, ela utiliza carro e equipamentos próprios. Devido ao custo do deslocamento, o valor das sessões varia de R$ 35 a R$ 50, de acordo com a distância e a quantidade de vezes na semana requeridas pelo paciente. Na clínica, ela afirma que a diferença seria de R$ 10 a menos. Mesmo com a quantidade de atendimentos menor, devido ao tempo gasto de um deslocamento para outro, não há perda na rentabilidade e o cliente sai satisfeito. “Sai um pouco mais caro para o cliente, mas compensa porque ele tem um atendimento especial”, afirmou.

A qualidade é atestada pelo aposentado Adair dos Santos, cliente de Marcela há três meses. Com o tratamento em casa, ele conseguiu emagrecer cinco quilos e deixou de ser sedentário. “Na academia era mais difícil”, disse.

Comodidade é o grande diferencial

A massoterapeuta Eunice Alves persistiu durante um ano até formar a sua clientela

Oferecer serviços na casa dos clientes possui vantagens, porém a formação de clientela exige persistência e dedicação.

Dos 11 anos de serviço, a massoterapeuta Eunice Alves de Souza afirma que em cerca de sete fez apenas atendimentos em domicílio. O primeiro ano foi complicado, até que a clientela fosse formada. “Pegava o ônibus e levava a mala com os produtos de casa em casa, em torno de dez clientes por dia. Dava vontade de desistir”, afirmou. Mas a profissional se estabilizou e, atualmente, conta com um carro para ir até o cliente e levar seus equipamentos. Os atendimentos passaram de R$ 60 para R$ 210, com o pacote completo de massagens. No salão, o valor é em torno de R$ 180. “Criamos uma relação de amizade e confiança com os clientes que compensa”, disse.

A relação, porém, segundo a fisioterapeuta Marcela Almeida, pode virar um problema se fica muito informal. “Alguns clientes não são pontuais com o pagamento, então criam situações complicadas, mas por isso explico tudo no primeiro atendimento”, disse.

Cativada pelo tratamento diferente e pela comodidade, a gerente de uma loja de informática, Tatiana Ferreira, não dispensa os serviços de Eunice há 11 anos. “Tenho preguiça de ir ao salão. Em casa, fico bem e ela é uma excelente profissional”, disse.

Atendimento gera renda extra

Silvana dos Santos se desdobra entre trabalhos fixos e atendimento residencial

A manicure Silvana dos Santos, 50 anos, faz unhas desde os 11 anos, quando começou a trabalhar em um salão. Atendeu muito tempo dessa forma, até o salão fechar e, então, ela optar por fazer atendimentos na casa ou serviço da clientela já formada. Segundo ela, a modalidade de atendimento tem sido interessante por não ter de dar 30% do seu serviço para nenhum recinto. “Eu mesma faço os agendamentos e decido quanto cobrar”, disse. No salão, o valor é de R$ 18. Já ela, cobra entre R$ 12 e R$ 15. Com o trabalho, lucra cerca de R$ 150 por mês. É um complemento da renda, já que ela também trabalha como faxineira e secretária. “Faço as duas coisas e ganho um extra”, disse.

Como no mercado formal, há direitos e deveres

Os serviços prestados em domicílio também estão sujeitos ao Código do Consumidor. De acordo com o superintendente do Procon, Franco Cristiano Alves, todas as regras de pessoa jurídica incidem sobre os profissionais que atendem em casa, portanto eles devem garantir a qualidade do serviço prestado e observar as normas estabelecidas no código. A responsabilidade por qualquer acidente de consumo decorrente da prestação de serviço também cabe ao prestador e está sujeita à re-execução do serviço, caso o cliente entenda que foi mal executado. Franco afirma que embora não seja necessário um contrato entre as partes, o consumidor pode exigir o recebimento de recibo pelo serviço utilizado, como uma forma de se resguardar. “A escolha do profissional deve ser feita com cautela”, afirmou.

Rentabilidade

Fisioterapeuta

Domicílio – R$ 35 a R$ 50
Clínica – R$ 20

Manicure

Domicílio – R$ 12 a R$ 15 *sem porcentagem para recinto
Salão – RS 18

Massoterapia

Domicílio – R$ 210
Clínica – R$ 180

Comentários

5 respostas para “Cresce prestação de serviços em domicílio”

  1. ACHEI EXCELENTE A IDEIA. GOSTARIA DE SABER SE EXISTE ESSE TIPO DE SERVIÇO SENDO FEITO POR CIRURGIOES-DENTISTAS, QUAIS OS PRECOS MEDIOS E ONDE O MESMO E REALIZADO.
    GRATO
    HOWARDSON

  2. Essa informação é ótima, observem que a manicure que está a mais anos nesse ramo cobra mais barato, logo os demais prestadores de serviço vão entender que o valor deve ser menor em um atendimento domiciliar.

  3. CREIO QUE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DOMICILIAR DEVA TER UMA TABELA DE VALORES ACIMA DA MÉDIA POIS AO ATENDER O CLIENTE EM CASA A COMODIDADE OFERECIDA ENVOLVE VALORES E DESLOCAMENTO .
    O PROFISSIONAL PRESTADOR DEVE TER PRINCIPIOS ÉTICOS E MORAIS JAMAIS DEVE DEVE CONDUZIR OS NEGÓCIOS PRECIFICANDO A MÃO DE OBRA ABAIXO DOS DEMAIS PRESTADORES .

Deixe uma resposta


8 − = sete

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.