menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Estudantes vão até a UFU para confirmar cancelamento da prova

Mesmo com notificação via SMS e e-mail do cancelamento da aplicação das provas que aconteceriam neste sábado (5) e domingo (6) no campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), estudantes foram até os portões da instituição confirmar que estavam fechados. O cancelamento no local se deu devido a ocupação de três blocos por movimentos estudantis contrário a PEC 241. Ao todo, 22 locais de prova em Uberlândia foram cancelados e 13.801 dos 40.207 estudantes da cidade inscritos no exame farão o Enem nos dias 3 e 4 de dezembro.

Em frente a UFU havia o aviso do MEC sobre o cancelamento e cartazes do movimento estudantil que ocupa o local (Foto: Taffareu Tarcisio)

Em frente a UFU havia o aviso do MEC sobre o cancelamento e cartazes do movimento estudantil que ocupa o local (Foto: Taffareu Tarcisio)

Faltando, 5 minutos para o horário de abertura dos portões, a reportagem do CORREIO de Uberlândia passou pela Escola Estadual Frei Egidio de Parisi, no Santa Mônica, zona Leste – um dos primeiros locais a ser divulgado o cancelamento da prova – mas não tinha nenhum estudante no local.

Gabrielle Kothe, de 17 anos, é uma estudante que está concluindo o Ensino Médio e se inscreveu para realizar Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e faria as provas na UFU campus Santa Mônica. No entanto, a jovem que é paranaense, há três meses voltou com a família para Umuarama (PR), há 914 km de Uberlândia. “Saí de lá ontem às 7h e cheguei aqui às 2h da madrugada. Foram 20h de viagem e mais de R$ 500 reais que vou gastar para chegar aqui e saber que o exame foi adiado”, disse a estudante que deverá ter o mesmo gasto quando voltar para realizar as provas em dezembro.

Isadora Gomes Araújo veio do norte de Minas para fazer a prova (Foto: Taffareu Tarcisio)

Isadora Gomes Araújo veio do norte de Minas para fazer a prova (Foto: Taffareu Tarcisio)

Isadora Gomes Araújo, de 18 anos, é outra estudante que se mudou de Uberlândia e veio só para realizar as provas. A jovem que chegou nesta sexta-feira (4) de Janaúna, no norte de Minas Gerais, e só ficou sabendo do cancelamento das provas hoje pela manhã ao receber um SMS, não acreditou e resolveu ir até o local para confirmar o cancelamento. “Estou me preparando para cursar Medicina na Universidade Estadual de Montes Claros, mas lá o ingresso é só por meio do Enem, então vou ter que voltar depois para fazer as provas”, disse.

Mãe de estudante que realizaria o Enem na UFU quer desocupação

Mãe e filho foram até o local de prova para confirmar o cancelamento. (Foto: Taffareu Tarcisio)

Mãe e filho foram até o local de prova para confirmar o cancelamento. (Foto: Taffareu Tarcisio)

A psicóloga Marines Fernandes e o filho de 17 anos, João Lucas Fernandes, chegaram aos portões da UFU campus Santa Mônica onde o estudante realizaria as provas do Enem por volta das 12h. Segundo ela e o filhos, eles não receberam nenhuma notificação do cancelamento das provas.

Marines Fernandes disse ser a favor do movimento contrário à PEC 241 que busca restringir os gastos públicos, à reforma do Ensino Médio e ao projeto da Escola Sem Partido, denominada pelos manifestantes de “Lei da Mordaça”, cujo os manifestantes ocupam três blocos da UFU, motivo pelo qual o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Tira (Inep), responsável pelo Enem cancelou as provas no local. “Mas, não sou a favor da forma com que os manifestantes estão conduzindo o movimento. Ao ocupar instituições de ensino eles estão tirando o direito de quem quer estudar”, disse a mãe do estudante que foi preparado com água garrafinhas e água e suco para se hidratar durante a prova.

Comentários

One Response to “Estudantes vão até a UFU para confirmar cancelamento da prova”

Deixe uma resposta

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.