Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Frota em Uberlândia aumenta e trânsito mata 23% a mais em 2010

O número de pessoas que morreram em acidentes de trânsito no perímetro urbano de Uberlândia cresceu 22,89% em 2010, comparado ao ano anterior. Ao todo, foram 204 óbitos registrados no ano passado na cidade. Já em 2009, foram 166 mortes. Os dados são da Polícia Civil e mostram ainda que os homens morrem mais do que as mulheres em acidentes de trânsito. O sexo masculino representa, em média, 83. As principais justificativas para o aumento das mortes no trânsito são o aumento da frota veicular, a falta de respeito às normas de trânsito e a imprudência dos motoristas.

A maioria dos acidentes que acontecem diariamente pelas ruas de Uberlândia envolve um carro e uma motocicleta, segundo Genildo Moreira Lima, comandante do Pelotão de Trânsito do 32º Batalhão de Polícia Militar de Uberlândia. “De forma geral, a vítima mais grave é o condutor da motocicleta. Muitas vezes, se não há morte, o motociclista sofre uma lesão grave. Assim, podemos dizer que a maioria das mortes que acontecem no trânsito é de motociclistas”, afirmou. O comandante do Pelotão de Trânsito diz ainda que a maioria dos acidentes ocorre em horários de pico. “Das 6h às 8h, as pessoas estão se deslocando para o trabalho e para a escola e, geralmente, tem algum acidente. Esse mesmo fenômeno ocorre também no horário de almoço, entre 11h e 13h, e se repete no fim da tarde”, disse.

Segundo Antônio Jarbas Luciano, assessor de operações de tráfego da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes, os pontos mais críticos da cidade são o hipercentro e as intercessões das rodovias que cortam o perímetro urbano. “A grande aglomeração de veículos no Centro torna o local crítico para um possível acidente e também nas interseções da rodovia devido à velocidade de tráfego. Geralmente, em acidentes com envolvimento de motos sempre há uma vítima em estado grave”, afirmou.

Ainda de acordo com ele, só a fiscalização não é capaz de diminuir os acidentes no trânsito. “A frota de Uberlândia é de 305 mil veículos emplacados e mais veículos flutuantes de pessoas que estão a passeio na cidade. Fiscalizamos e temos uma sinalização muito boa, mas não temos como controlar o motorista que está com pressa. É preciso que o condutor usufrua o trânsito de forma consciente e com responsabilidade”, disse.

Assista ao vídeo com a entrevista do assessor de Operações de Tráfego da Settran, Antônio Jarbas Luciano.

[media id=73 width=320 height=240]

Familiares relatam tragédias

Nilva de Fátima, irmã do pedreiro, disse que família está inconformada

O pedreiro Agnaldo Antônio Ribeiro, de 42 anos, morreu no último domingo e entrou para as estatísticas de óbitos em acidentes de trânsito. Ele conduzia uma motocicleta, que foi atingida por um carro que avançou o sinal de pare no cruzamento da avenida Dr. Bezerra de Menezes com rua Capricórnio, bairro Jardim Brasília zona norte de Uberlândia. O acidente matou o pedreiro e feriu na perna a filha mais velha que estava na garupa. Nilva de Fátima Ribeiro de Oliveira, irmã do pedreiro, diz que a família está inconformada com o acidente. “Não é fácil e não consigo entender por que a motorista do carro não obedeceu à sinalização. Meu irmão era uma pessoa alegre e que lutava para cuidar sozinho dos cinco filhos. A mãe das crianças abandonou todos há 13 anos. Agora, não sei o que vai ser deles”, afirmou.

A família da dona de casa Rosangela Segatto de Melo também perdeu um parente no trânsito de Uberlândia. O sogro dela de 75 anos, Aguinaldo José de Melo, morreu no dia 27 de janeiro durante uma queda da moto que conduzia no bairro Aparecida, zona central da cidade. “Ele foi desviar de um cachorro que apareceu no meio da via e perdeu o controle da motocicleta. É muito complicado e triste para nós”, disse.

Pressa é um dos motivos de colisões

A mestre em engenheira de transportes Carolina Magalhães

O aumento significativo da frota veicular e, consequentemente, o aumento da severidade dos acidentes de trânsito se devem a uma série de fatores, segundo Caroline Tristão de Alencar Magalhães, mestre em engenharia de transportes. “Um deles é a questão da imprudência. Com a vida moderna, as pessoas estão sempre atrasadas e andam numa velocidade acima do que foi planejada para as vias. Então, muitas vezes, o tempo de frenagem não é suficiente para se evitar o acidente. Outra questão é que, com o crescimento acelerado da cidade, as vias ainda não estão preparadas para tantos veículos”, disse.

Ainda segundo ela, uma campanha de educação no trânsito poderia ser uma alternativa para diminuir a quantidade e a severidade dos acidentes. “É preciso alertar as pessoas sobre a importância de respeitar a sinalização. Também é necessário preparar melhor os condutores para o trânsito e organizar as vias”, afirmou.

Número de acidentes de trânsito com mortes

2010: 58

2009: 41

Número de mortes decorrentes de acidentes de trânsito

2010: 204 pessoas morreram

2009: 166 pessoas morreram

Descrição dos acidentes de trânsito com mortes em 2010

- Abalroamento: 26
- Atropelamento de pessoa: 7
- Capotamento/tombamento: 3
- Choque mecânico: 11
- Colisão de Veículos: 3
- Outras infrações referentes ao trânsito urbano: 2
- Queda de pessoa de veículo: 2
- Queda de veículo: 4
Total: 58

Dicas para evitar acidentes

- Conhecer as regras de trânsito
- Obedecer à sinalização
- Conduzir o veículo de forma consciente
- Não falar ao celular
- Usar o cinto de segurança
- Usar o capacete com a viseira abaixada
- Manter uma distância de segurança do veículo da frente
- Acender os faróis e reduzir a velocidade nos dias de chuvas

Comentários

3 respostas para “Frota em Uberlândia aumenta e trânsito mata 23% a mais em 2010”

  1. AS DICAS ,SÃO IMPORTANTES ,MAIS NAS RUAS DE UBERLANDIA ,NÃO ADIANTA UM CONDUTOR FAZER SUA PARTE , POIS TEM UNS QUE ANDAM POR AI QUE DEVERIA SER PROIBIDOS DE SAIR NAS RUAS , DEVERIA ANDAR SÓ TRANSPORTE PÚBLICOS OU DE TAXI , POIS NÃO TÃO NEM AI COM O TRÂNSITO.

  2. A falta de fiscalização por parte do Settran e Policia Militar, faz com que as os motoristas não se importem em cometer infrações. Dirijo em Uberlândia a 12 Anos e fui parado em blits umas 4 vezes! Onde estão os números de infrações registradas na cidade? Acredito ser muito pouco.

  3. Eu falo e vou continuar falando: “AQUELE JORNALISTA GAÚCHO TINHA RAZÃO AO DIZER QUE HOJE EM DIA QUALQUER UM PODE TER UM VEÍCULO”…”AS PESSOAS DEIXAM DE COMER PARA FINANCIAR UM CARRO OU MOTO” E O RESULTADO DISSO TUDO É QUE SEM DINHEIRO PARA HABILITAÇÃO SAEM POR AÍ IGUAL LOUCOS….EM UBERLAND NÃO EXISTE REGRA DE TRÂNSITO!!!!!!! SOCORRO!!!!!!

Deixe uma resposta


sete − = 4

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.