Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Mais de 950 vagas de emprego foram criadas em Uberlândia

Setor de construção civil deve continuar contratando nos próximos meses

O saldo de 977 novos empregos gerados em junho em Uberlândia apresenta um índice de crescimento de 95,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foi registrado saldo de 500 novos postos de trabalho. Ao todo, no mês passado, 10.671 trabalhadores foram admitidos e 9.694 foram demitidos. Com o resultado, a cidade ocupa o terceiro lugar no ranking estadual de geração de empregos, atrás de Belo Horizonte (4.951) e Patrocínio (1.566). Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados desta terça-feira (19), em Brasília, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Com saldo de 633 postos de trabalho, o setor da construção civil foi responsável por 64,8% dos novos empregos de junho e é o líder do ranking de geração de empregos, seguido pelo setor de serviços (481) e indústria da transformação (26).

De acordo com Wagner de Oliveira Júnior, vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP), o fim da temporada de chuvas colaborou para o crescimento do setor. “Com o tempo seco, a construção civil volta a pleno vapor. Além disso, temos novas obras começando, como condomínios e shopping, e a tendência é aumentar o número de contratações para atender a demanda”, disse.

Para o economista Fábio Machado, o lançamento do programa “Minha Casa, Minha Vida 2”, com ampliação de crédito para a compra de imóveis, favoreceu a retomada das obras. “Os setores de construção civil e serviços não sofrem desaceleração, estão sempre constantes”, disse.

No acumulado dos últimos 12 meses, Uberlândia apresenta um saldo de 13.444 novos empregos.

No semestre houve queda de 18,5% na geração de empregos

Apesar de apresentar um saldo de 6.374 novos empregos no primeiro semestre de 2011, o índice de geração de empregos em Uberlândia apresenta queda de 18,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando, de janeiro a junho, foram registrados 7.822 novos postos de trabalho.

A queda, de acordo com economista Fábio Machado, é justificada na restrição de crédito ao consumidor.
Em Minas Gerais, junho apresentou um saldo de 45.021 novos postos de trabalho. O setor da agropecuária foi o líder do ranking com 27.934 novos empregos, 62% do total, seguido por serviços (8.218 postos) e construção civil (3.946 postos). O Estado ficou em segundo lugar no ranking nacional atrás de São Paulo, que apresentou saldo de 61.208 novos empregos.

Sine tem mais de 2,2 mil ofertas de trabalho

Em junho, Uberlândia registrou um saldo de 977 novos empregos. Mesmo assim, no Sine existem 2.290 vagas de trabalho, sendo 25% delas para o setor de serviços, 20% para a construção civil e 20% para o comércio. No Caged de junho, divulgado ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o setor de serviços contratou mais trabalhadores, com 4.338 admissões e 3.857 demissões.

“A rotatividade deste setor é grande porque é o que sempre registra o maior número de vagas disponíveis. Com isso, o trabalhador pode escolher onde quer trabalhar e vai em busca de quem paga melhor e oferece mais benefícios”, disse Maria de Lourdes Rosa, coordenadora do Sine.

Para atender a demanda, o Sine oferece nove cursos para a qualificação de mão de obra, cinco para a área de construção civil e quatro para o setor de serviços. As inscrições podem ser feitas na sede do órgão na Praça Tubal Vilela, 60, Centro.

Semestre fecha com 1,4 milhão de vagas

A meta do governo Dilma Rousseff de criar 3 milhões de empregos formais em 2011 está cada vez mais distante de ser cumprida. Na primeira metade do ano, tradicionalmente mais vigorosa para o mercado de trabalho, foram gerados 1,415 milhão de empregos com carteira assinada, segundo informou ontem, o Ministério do Trabalho e Emprego.

O volume não chega à metade do objetivo pretendido e é inferior ao resultado de janeiro a junho de 2010, quando o saldo de vagas com carteira assinada foi de 1,634 milhão. Além disso, o segundo semestre tem o impacto negativo de dezembro, quando as demissões superam as contratações. Mesmo assim, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, se mantém irredutível. “Sou uma voz isolada, mas o segundo semestre será melhor”,disse.

Uberlândia

Junho 2011 – 977 novos empregos
Junho 2010 – 500 novos empregos
Maio 2011 – 766 novos empregos
13.444 novos postos acumulados nos últimos 12 meses

Setores:

Construção Civil – 633 empregos
Serviços – 481 empregos
Indústria de Transformação – 26 empregos

Semestre

Janeiro a Junho de 2010
7.822 novos empregos

Janeiro a Junho de 2011
6.374 novos empregos
Queda de 18,5%

Comentários

2 respostas para “Mais de 950 vagas de emprego foram criadas em Uberlândia”

Deixe uma resposta


+ 2 = onze

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.