Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

MEC corta dez vagas do curso de Medicina da Unipac Araguari

O Ministério da Educação (MEC) deu início ao processo de supervisão dos cursos com baixo desempenho nas avaliações da pasta, anunciado ontem (17). No Diário Oficial da União desta sexta-feira (18) foram publicadas as medidas cautelares que suspendem 514 vagas de 16 cursos de medicina que tiveram nota 1 ou 2 no Conceito Preliminar de Curso (CPC). Entre os 16 cursos está o da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac), Campus Araguari, que terá que reduzir dez vagas. A universidade teve conceito 1 em uma escala de 1 a 5, que é calculado com base no desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e em outros critérios como a infraestrutura e o corpo docente da instituição. A Unipac de Araguari, que antes oferecia 50 vagas para o curso de Medicina, terá que reduzir para 40 vagas.

Os cursos que sofreram o corte determinado hoje são todos de instituições privadas de Minas Gerais, de São Paulo, do Rio de Janeiro, do Maranhão, de Rondônia, do Tocantins e de Mato Grosso. O ministério pretende suspender até o fim do ano 50 mil vagas em graduações na área da saúde, ciências contábeis e administração que tiveram resultado insatisfatório nas avaliações de 2009 ou 2010. Os dados do Enade 2010 divulgados ontem (17) mostram que 594 dos 4.143 cursos avaliados tiveram CPC 1 ou 2. A nota 3 é considera satisfatória e os CPCs 4 e 5 indicam que o curso é de boa qualidade.

O percentual de vagas reduzidas em cada curso variou entre 20% e 65% do total, de acordo com o desempenho no CPC. A redução no número de vagas de ingresso passa a valer para o próximo processo seletivo de cada instituição. Elas passarão por um processo de supervisão e terão o prazo de um ano para cumprir um termo de saneamento de deficiências para melhorar a qualidade da oferta. Se as exigências não forem atendidas, o MEC poderá abrir um processo administrativo para encerrar a oferta do curso. A partir da notificação, as instituições têm 30 dias para informar o ministério sobre as providências que serão tomadas.

A reportagem do CORREIO tentou falar com a responsável pela Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac) Campus Araguari, mas segundo um funcionário da Unipac, ela está viajando e só vai falar sobre o assunto na terça-feira (22).

Comentários

18 respostas para “MEC corta dez vagas do curso de Medicina da Unipac Araguari”

  1. Não acredito que o ENADE sirva de referência para aprovar ou reprovar uma instituição de ensino. É minha opinião pessoal, sendo assim, não vou entrar no mérito da questão, principalmente porque há instituições que promovem até “cursinhos” para os “concluintes”.

    Por outro lado, quando de trata do “ingressante”, a responsabilidade da nota “baixa” é muito mais responsabilidade do Estado do que da própria instituição já que esse aluno veio do modelo de segundo grau do Estado e o que se “aprende”, normalmente, nos dois primeiros semestres de cursos superior é, nada mais, nada menos, que o que foi “ensinado” no ensino médio.

    É por isso que DEFENDO com “dedos e conexão”, a instituição, a implantação do EXAME DE FINAL DE CURSO, para TODOS, TODOS OS CURSOS superiores, a exemplo do que é feito na OAB.

    O Exame da OAB, que foi uma conquista, em partes (ou até no todo) de Ulysses Guimarães, deve ser aplicado em todos os cursos, principalmente no de medicina, que tem, “mais que os outros”, ligação direta com a VIDA x MORTE.

    É inadmissível que tenhamos médicos “pela metade” como vemos corriqueiramente nas unidades de saúde pública e privada e que, em que a classe só não é massacrada porque tem a profissão mais corporativista do Mundo, e olhem, um exemplo a ser seguido, sem falar, ainda, que quem julga os “erros” médicos são médicos e não uma outra profissão, ou seja, quase nunca temos um médico punido (lembra do “corporativismo”).

    É por isso que eu, como cidadão e aspirante a agente político, defendo a faculdade de perícia, o curso de perícia, a formação de perito, independente de qualquer profissão, para que esses sejam os juízes das outras profissões, sem correlação com nenhuma que seja.

    Enfim, é preciso repensar o modelo de verificação e avaliação do aprendizado.

    Há estudantes, inclusive, que fazem a prova por obrigação, justamente porque tem que fazê-la para ter o diploma.

    Há que se repensar e reformular nossa educação, com urgência.

    Leandro Chagas Demetrio Xadem

  2. Esse curso não poderia funcionar aqui em Araguari,haja vista que nem hospital para os estudantes tem!No mais quantos casos de mortes por descuido tem acontecido aqui.Pobre população araguarina,incluindo eu,sofremos muito,somos abandonados totalmente na área da saúde.Tantos aparelhos sendo caros sendo deteriorados,sumidos ,daquilo que poderia ser um decente hospital,mas pela corrrupção nõa é.deteriorados,sumidos,doque seri

  3. Brincadeira mesmo.Nos postinhos quando precisamso de médicos,nos indicam estes estudantes,acreditam?E o dinheiro do hospital foi parar nas mãos dos corruptos,que continuam rindo da nossa cara,construindo suas mansões e outras coisas com o dinheiro dos nossos impostos!Até quando teremos que viver assim?

  4. “os postinhos quando precisamso de médicos,nos indicam estes estudantes,acreditam?”E vc acha que nas outras faculdades funciona como???Vá se informar antes de julgar queridinha!!

  5. Esses formandos serão Médicos e excelente profissionais, e ainda vão calar a boca de muita gente, de pessoas que não sabem realmente como funcionam as coisas e julgam apenas por especulações. Esperem e verão.

  6. CArol, Esses estudantes de medicina, vivem nos barzinhos de frente a faculdade ou em festas com muita orgia! Vão ser verdadeiros açougueiros! o MEC teria que cortar todas essas vagas! compradas pelos papaizinhos! Não conseguiram passar na Federal e compraram uma vaga nessa porcaria que se intitula universidade!

  7. Bom Mirian, primeiro que não é pq os estudantes vivem em barzinhos ou festas que eles não prestem, se for assim a maioria das pessoas não prestariam não eh?! Vc nunca foi jovem e nunca frequentou bares ou festas? Bom acho impossivel!!! Segundo, muitos passaram por mérito e não foi o papaizinho q comprou uma vaga e se foi tb o problema eh de qm comprou, afinal não é pq é uma faculdade particular que significa q o vestibular é fácil, porém a concorrencia é menor. Ah e só pra lembrar nas federais tb vendem vagas. Ainda hj é inocencia de algumas pessoas pensarem q federais são melhores q particulares!Mas de qualquer forma tds tem livre arbitrio para pensarem como quiser, porém não devemos julgar as pessoas sem saber, e nada melhor que o tempo pra provar mts coisas.

  8. Carol.
    Infelizmente, os estudantes da UNIPAC não vão calar a boca de ninguém. Eles são realmente mal preparados. Creio, porém, que a culpa não é deles. A prefeitura de Araguari devia oferecer de dez a vinte bolsas de complementação à UNIPAC. Assim, seria possível oferecer salários competitivos aos professores. Imagino que um salário de 70 mil reais líquidos por mês atrairia grandes médicos para a UNIPAC. O custo para a prefeitura seria, no máximo, 1.5 milhões de reais por mês.

  9. Minha filha,vc está generalizando!!!Nem todos vivem nos bares igual vc diz..ahh e pra sua supresa isso tb acontece em faculdades federais viu?Eu acho bom vc se informar antes de falar asneira,será despeito??Tenta querida,quem sabe vc não passa no vestibular hein???

  10. Querida Mirian (com N), ao ler seus “comentários” logo percebi algumas coisas: A senhora não sabe o que é uma vida acadêmica, muito menos deve ter chegado perto de possuir ensino superior. Ou seu filho não foi aprovado na MEDICINA da UNIPAC? Vamos por partes, qual o problema para a senhora de ver os jovens se divertindo no barzinho em frente a faculdade? Não é porque a sua vida é monótona que a de todos devem ser. É costume em todas as faculdades, em todos os cursos, os alunos saírem após uma prova para comemorar, após semanas de estudos, mesmo sabendo que no dia seguinte terão ainda mais matéria a estudar.
    Muitos são sim filhinhos de papai, e estão continuando o ciclos, porque sabem que estão ali porque seus pais batalharam muito a vida toda para acontecer, eles batalharam muito para chegarem aonde estão, mas isso só nós estudantes de medicina e nossos pais e claro Deus sabe o que é. O ciclo continuara com os filhos desses “filhinhos de papai” que são diferenciados por ter convicção e determinação, sabiam o que queriam desde que decidiram estudar para ter uma boa vida.
    Muitos não são filhinhos de papai, conquistaram isso com mais suor que os outros por não terem tido uma boa base na escola, tiveram que se virar sozinhos e conseguiram! Estão lá. São médicos e digo mais, eu confiaria minha vida para ser tratados por eles!
    Com certeza, Araguari não é a cidade mais acolhedora para os estudantes. Grande parte da população não percebeu a mudança na economia da cidade com a chegada dos alunos. Muitos tratam os estudantes como ameaça, ainda não entendi o porque, mas tenho muitas hipóteses, assim como não passam de hipóteses e especulação os comentários malevolentes nesta pagina. É muito fácil você querer diminuir os outros para tentar se elevar, mas assim você não estará se elevando e nem diminuindo a felicidade dos estudantes. Nada atrapalharia a felicidade verdadeira que é a conquista de um sonho sob um trabalho árduo.

  11. Querida Maria Silva, dou-lhe uma dica, não para seu comentário, mas leve como uma instrução de vida: só abra a boca quando sabe sobre o que está dizendo. Você parece aquelas velhas frustradas que só sabem criticar a vida alheia pois não tem uma vida para cuidar…. A lição de moral foi dita, agora você ficará menos ignorante, lá vai: EM TODAS AS FACULDADES DE MEDICINA, OS ALUNOS FAZEM ATENDIMENTO! Agora, aprendendo a pensar: SE NÃO FOSSE ASSIM, COMO SE ENSINARIA A MEDICINA???? Claro que são supervisionados por médicos. E mais uma informação para finalizar: Acordos com prefeituras, feitos pela universidade para ensinar medicina, custa milhões por ano para a faculdade, se estão criticando, imagina o que seria da população com milhões a menos nos hospitais?

  12. Fico indignada quando leio ou escuto opiniões como as expostas acima. Isso mostra como as pessoas preferem inutilizar o senso crítico e o pensamento racional para se basearem em preconceitos e generalizações. Muitos criticam e comparam a instituição com a UNIUBE e se esquecem de pequenos “detalhes”, como o fato desta existir a 65 anos, enquanto a UNIPAC tem 11 anos de história. A faculdade de Medicina de Araguari tem/tinha sim problemas a serem resolvidos, mas isso não diminui o mérito de inúmeros estudantes que passaram por esforço e muitas horas de estudo. Você acha mesmo que todos que estão mofando em cursinhos fazem isso por escolha? Alguns têm interesse em prestar uma faculdade com menor número de concorrentes por vaga. Acontece que o curso de Medicina é caro e inacessível para a maioria deles, e isso os obriga a enfrentar uma concorrência exorbitante em universidades federais. Nada impede que alunos de universidades particulares sejam tão bons quanto ou melhores quando comparados aos estudantes de universidades públicas. Espero que as bocas de ignorantes sejam caladas quando precisarem de um atendimento fornecido por formados na UNIPAC. Quem sabe um destes “orgieiros”, “açougueiros” e “filhinhos de papai” sejam responsáveis por salvar as suas vidas ou de algum parente ou amigo? Pensem nisso!

Deixe uma resposta


quatro − 3 =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.