Cidade e Região

Notícias de interesse geral de Uberlândia e região.

23/08/2012 7:50

Média da rede pública em Uberlândia do 1º ao 9º ano supera a do país

Alunos da Escola Honório Guimarães se destacaram no Ideb

A média do ensino fundamental mantido pela rede pública em Uberlândia superou a do país no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Dados desta avaliação referentes ao ano de 2011 indicam que as séries iniciais (1º ao 5º ano) tiveram média de 5,8, enquanto as séries finais (6º ao 9º ano) obtiveram nota 4,8. Em âmbito nacional, os índices foram de 4,7 e 3,9, respectivamente.

Os números atingidos neste ano pelas instituições de ensino público da cidade também estão acima das metas propostas pelo Ministério da Educação (MEC). A projeção do órgão é atingir estes índices em 2015. Os dados de Uberlândia também apresentaram melhora se comparados aos de 2009, data do último Ideb. Há dois anos, as séries iniciais do ensino fundamental registraram médias de 5,6 e as finais, de 4,5.

Para chegar aos índices, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho na Prova Brasil, aplicada para crianças do 5º e 9º ano do ensino fundamental no fim destas séries. Para que as escolas tenham resultados satisfatórios com notas que podem variar de 0 a 10, é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente a sala de aula.

Em Uberlândia, as escolas da rede estadual de ensino apresentaram resultados melhores se comparados aos da rede municipal. Nos anos iniciais, a média da rede estadual foi de 6,2 contra 5,5, registrada pelas escolas do município. Já nas séries finais, foram 4,9 pontos da rede estadual e média de 4,6 das municipais. A Escola Estadual Honório Guimarães, no bairro Lídice, setor central, se destacou nas séries iniciais do ensino fundamental, com o melhor resultado da cidade na rede pública. A instituição obteve nota 7,5, índice superior à média de 5,8 registrada em Uberlândia.

Melhor de Uberlândia obtém not 7,5

Para estar no topo do ranking das instituições de Uberlândia com a melhor nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nas séries iniciais (1º ao 5º ano) do ensino fundamental, a Escola Estadual Honório Guimarães tem uma estratégia. No início do ano letivo, alunos de todas as séries fazem uma prova para que os professores identifiquem as dificuldades de cada estudante.

“A percepção da defasagem do aprendizado de forma individual permite corrigir os problemas ao longo do ano”, afirmou o diretor da escola, Juscelino Pereira de Souza. Ainda segundo o diretor, outra atividade que tem ajudado os alunos desta instituição de ensino tem sido a prática da leitura. “O aluno que lê com frequência interpreta melhor questões relacionadas a todas as disciplinas”, disse o diretor.

Juscelino de Souza afirmou que há ainda a preocupação com o trabalho dos professores, que se reúnem periodicamente para discutir a prática pedagógica e verificar se o cronograma adotado tem sido bem desenvolvido.

Escola Estadual Dr. Duarte Ulhôa

O entrosamento entre pais, alunos e professores é uma das receitas para o sucesso da Escola Estadual Dr. Duarte Ulhôa, no bairro Martins. A instituição obteve a maior nota da cidade no Ideb 2011 para os anos finais do fundamental, com índice 6,3. Segundo a diretora da escola, Alda de Paiva Almeida, o processo de ensino e aprendizagem envolve o comprometimento de todos. “Além de contar com os pais nas atividades extraclasse, incentivamos muito a leitura e a escrita dentro e fora de sala”, afirmou a diretora.

Ir além do cronograma curricular estipulado pelo Estado é outro diferencial da escola. Os alunos produzem jornal, fazem apresentação de teatro a partir da leitura de livros e ainda têm a disciplina de redação. Para a diretora da escola, o estímulo à interpretação e produção de texto é um benefício multidisciplinar. “Hoje, grande parte dos alunos não entende o que lê, fato que culmina no analfabetismo funcional”, disse Alda Almeida. Com o resultado divulgado pelo Ideb 2011, a diretora afirma que a responsabilidade e as ações extras curriculares vão aumentar na mesma proporção. “Precisamos continuar trabalhando para manter ou elevar ainda mais o índice dos nossos alunos”, disse.

Mestre da UFU vê números com cautela

Os números apresentados pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2011 são vistos com cautela pelo mestre em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Eduardo Macedo, já que ainda que estejam acima da média nacional, há uma diminuição quando comparados os índice obtidos pelas séries iniciais e pelos últimos anos do ensino fundamental. Do 1º ao 5º ano, a rede pública de Uberlândia obteve média de 5,8. A avaliação do 6º ao 9º ano foi de 4,8 pontos.

De acordo com Macedo, essa diferença se justifica pelo fato de as políticas públicas serem mais direcionadas para a educação infantil. “A transição do aluno do 5º para o 6º ano tem sido problemática, uma vez que o ritmo de ensino é diferente de uma série para a outra”, disse. Como consequência, segundo o mestre em Educação, há o aumento dos índices de evasão e de reprovação. Ainda de acordo com Macedo, em Uberlândia, de cada quatro crianças que ingressam na 1ª série do ensino fundamental, somente uma chega ao 9º ano.

Outra análise feita por Eduardo Macedo é o fato de a média da rede estadual ser maior que a do município. De acordo com o professor, um dos fatores que pode explicar esta diferença é a gestão escolar. “No município, os diretores são escolhidos por meio de eleição, enquanto no Estado, é preciso ter certificação para gerenciar uma escola”, afirmou.

Escola de Nova Ponte lidera ranking

A cidade de Nova Ponte (MG), que fica distante 92 quilômetros de Uberlândia, foi destaque nacional após a divulgação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2011. A Escola Municipal São Miguel, que conta com 750 alunos, alcançou o primeiro lugar nacional entre as escolas municipais das séries finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental, com nota de 6,8. O número é também 84% superior à meta dos 3,7 pontos estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC).

De acordo com a secretária de Educação de Nova Ponte, Maria Regina Silva, a motivação dos professores é um dos fatores que podem ser atribuídos à nota obtida pela escola. Também segundo ela, mensalmente, eles são avaliados e o bom desempenho significa mais R$ 200 no salário. “Também priorizamos aulas extraclasse e o contato entre professores, alunos e pais. Por meio do projeto ‘Período de Visitas’, os docentes visitam a casa dos alunos para conhecer a realidade de cada um”, disse.

Comentários (2)

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

 

  1. ana disse:24/08/12 23:25

    gostei muito desta reportagem,a minha escola tambem ficou com boa nota perante o estado.meu professor falou que eu tenho uma mentalidade de um aluno do 9 ano,mas eu sou do 7 ano.sou da e.e.prof. nelson cupertino.no bairro pacaembu.

    Responder
  2. valeria disse:06/01/13 21:56

    queria receber a nota da escola caic guarani, Escola Muncipal Stela Saraiva Peano

    Responder