Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Menina de dois anos é abandonada pelo pai

Comerciante encontrou a criança, que foi levada para o Conselho Tutelar pela Polícia Militar

Uma menina de dois anos foi abandonada pelo pai em uma panificadora do bairro Santa Mônica, zona Leste de Uberlândia, na tarde desta quarta-feira (1). Segundo o soldado da PM Genival Menezes, o homem, de 34 anos, disse ao dono da panificadora que deixaria a criança com ele, porque ele não podia cuidar mais.

Segundo o soldado, em primeiro momento o homem disse ao empresário que estava passando por problemas com a mãe da criança. “Quando o dono disse que chamaria a polícia ele fugiu. Nós ainda não temos pistas dele”, afirmou.

O dono da panificadora Saulo Nunes de Freitas disse não conhecer o homem e que a criança estava dormindo na bicicleta quando o ele chegou na panificadora. “Estranhei o jeito dela e disse que ela iria cair. Ele respondeu que a estava doando para quem quisesse. Eu expliquei que não era bem assim, mas ele só disse o nome dela e fugiu na bicicleta”, disse.

A criança foi levada para o Conselho Tutelar pela Polícia Militar. Segundo a conselheira Daniella Batista Borraz, não há informações sobre familiares da criança. “Nós não temos nem por onde começar. Só sabemos os dois primeiros nome dela e nada mais, mas vamos tentar localizar alguém que possa cuidar da criança”, disse.

Enquanto os familiares não forem localizados, segundo a juíza da Infância e Juventude, Édila Moreira Manosso, a criança ficará acolhida em uma instituição. “Esse é o procedimento padrão”, disse.

Comentários

2 respostas para “Menina de dois anos é abandonada pelo pai”

  1. A Criança não tem culpa da loucura dos pais!
    Espero que a mesma receba o melhor tratamento possivel e quem sabe alguém a adote!

    “O Senhor dos Universos” sempre reserva o bem a quem pratica o bem!

Deixe uma resposta


− cinco = 3

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.