Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome visita Uberlândia

Ministra proferiu aula magna na UFU

Cumpriu agenda nesta sexta-feira (13) em Uberlândia a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. Os compromissos da ministra na cidade ocorreram no âmbito das solenidades oficiais e não houve anúncios de investimentos ou de novidades em relação à pasta para a região.

Pela manhã, Tereza Campello, que é economista formada em 1988 pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), esteve no campus Santa Mônica da instituição uberlandense de ensino superior para ministrar aula magna. A ministra falou a alunos e convidados sobre os êxitos do plano “Brasil Sem Miséria” no país.

À imprensa, disse que o Sudeste, bem como Uberlândia e região, não é, para o Governo Federal, o local prioritário para aplicação dos programas existentes no plano. Isso porque o foco principal está em atender áreas que concentram a maior parte dos 16 milhões de brasileiros em extrema pobreza como, por exemplo, o Nordeste.

“Uberlândia conta hoje com cerca de seis mil pessoas em extrema pobreza. Nem 1% da população total”, disse. Segundo o site da Caixa, atualmente, mais de 8 mil famílias são atendidas pelo programa Bolsa Família.

Outros compromissos

Já tarde, Tereza Campello foi homenageada com o título de cidadã honorária de Uberlândia no Plenário da Câmara Municipal. Havia a expectativa de que ela se encontrasse com o prefeito Odelmo Leão no gabinete do Centro Administrativo Municipal, mas, segundo a assessoria da ministra, ela não foi porque isso não estava previsto na agenda de Tereza Campello em Uberlândia.

No entanto, segundo a própria ministra informou à imprensa, não havia nada certo. “Nós convidamos ele [Odelmo Leão] para as atividades. Até porque nosso [Governo Federal] trabalho é em parceria com os municípios”, disse.

Campello também participou de um evento do PT à noite, no auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). O evento esboçou o programa de governo do pré-candidato à Prefeitura de Uberlândia, Gilmar Machado (PT).

Comentários

4 respostas para “Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome visita Uberlândia”

  1. A capetada do PT já está de volta com quem que não quer nada? O pior cego é aquele que não quer enxergar. Só o fato dela vir fazer palestra na UFU já dá para perceber a politicagem e ainda por cima ser homenageada com título de cidadã uberlandense autor Delfino do PT nem precisa dizer mais nada, em ano de eleições tudo é lindo!!! Sinceramente, o que essa mulher fez para a cidade de Uberlândia para receber esse título??? Um gari, um coveiro, enfim todos nós que trabalhamos e pagamos impostos merecemos e nunca recebemos nada dessa corja de políticos do PT, UFU ENTÃO!!!

  2. O sr.reitor poderia exclarecer se esta professora ainda percebe seus salários como mestra desta instituição?como contribuinte,mereço uma resposta.

  3. Na verdade esse título de cidadão honorário já virou balela no Brasil, de norte a sul. Porém é mil vezes melhor dar esse título a ministra Campello, do que aos políticos, empresários e religiosos, os tipos tradicionais e de direita, que são ante povo, só lembram dos babacas na hora do voto, da produção ou do dízimo. Faça um levantamento na câmara local ou em qualquer outra câmara por aí: verás que o joio prevalece na onda das homenagens. A ministra Campello ao menos atua corretamente para eliminar gradualmente a grave concentração de renda brasileira. Outros merecem mais, mas ela tem moral para tal, valeu PT, valeu Delfino, valeu UFU.

Deixe uma resposta


− seis = 3

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.