Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

MLST recorre da decisão de reintegração da Usina do Tijuco

O Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) informou que recorrerá da decisão da Justiça de Minas Gerais estabelecendo a reintegração de posse da Fazenda São José do Cravo, localizado em Prata (MG), a 60 Km de Uberlândia. O despacho publicado nesta quarta-feira (28), prevê a saída de 80 famílias ligadas ao movimento e a retomada da área pelo arrendatário, a Usina Vale do Tijuco.

Contudo, como a decisão do Tribunal ainda não foi enviada a um oficial de Justiça da comarca de Prata, os representantes da Pastoral da Terra, que advogam pela causa do MLST, não sabem quando entrarão oficialmente com o recurso. Eles dependem também da citação de todas as pessoas que estão assentadas na propriedade.

A Polícia Militar (PM) também não foi demandada pela Justiça para cumprir a ordem judicial. “Quando formos, seguiremos uma doutrina de planejamento que prevê negociações para a saída pacífica antes do uso da força policial”, disse o comandante da 9ª Região de PM, Dilmar Fernandes Crovato.

Procurada pela reportagem, a Usina Vale do Tijuco, da Companhia Mineira De Açúcar E Álcool (CMAA) e com sede em Uberaba (MG), não quis revelar como procedeu, após saber da decisão judicial favorável à empresa, para agilizar a reintegração.

Os militantes do movimento ocupam a área de 1,5 mil hectares desde o mês de novembro de 2011 com a alegação de que a área é improdutiva. As três pessoas assassinadas em um distrito de Uberlândia no dia 24 deste mês eram líderes do assentamento.

Comentários

Deixe uma resposta


8 − oito =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.