Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Número de homicídios em 2013 cai 11,7% em comparação a 2012 em Uberlândia

Após dois anos de elevação consecutiva, o número de assassinatos (homicídios e latrocínios) em Uberlândia registrou queda em 2013 em relação ao ano passado. Levantamento anual realizado pelo CORREIO de Uberlândia revela que, neste ano, ao menos 180 (até este domingo – 29) pessoas foram mortas ao passo que 204 morreram em 2012. Ou seja, a situação indica uma redução de casos na margem de 11,7% entre um ano e outro. A quantidade apurada para este ano ainda é menor que o registrado em 2011, quando 187 crimes violentos desse tipo ocorreram.

Número de homicídios em 2013 cai 11,7% em comparação a 2012 em Uberlândia

Dilmar Crovato disse que resultado ainda não é satisfatório (Foto: Marcos Ribeiro 16/4/2013)

No entanto, mesmo com a queda atual, o registro de assassinatos em 2013 continuou acima do verificado em anos anteriores, como, por exemplo, em 2010. Naquela época, a estatística apontou 141 casos. Por isso, na avaliação do sociólogo especialista em segurança pública Luis Flávio Sapori, que também é ex-secretário adjunto de Segurança Pública do Estado de Minas Gerais, o número levantado nos últimos 12 meses não pode ser comemorado.

“Esse patamar continua alto se considerarmos o histórico da cidade. Há dez anos, havia metade ou menos assassinatos que agora”, afirmou. Para o sociólogo, o decréscimo agora está relacionado a uma ação repressiva do Estado iniciada no ano passado nos 15 maiores municípios de Minas, mas ainda há a necessidade de se adequar a ação às especificidades de cada uma. No caso de Uberlândia, quanto ao crescimento populacional, já que a maior parte das mortes está ligada ao varejo de tráfico de drogas.

Localmente, a implantação do Grupo de Prevenção a Homicídios (GPH), formado por militares que trabalham integrados com a Delegacia de Homicídios para levantar informações, foi uma das medidas que impactou no decréscimo, acredita o comandante da 9ª Região da Polícia Militar (9ª RPM), Dilmar Crovato. “Conseguimos identificar alvos para colocá-los em proteção e tirá-los da cidade. Ao mesmo tempo, identificamos mandantes dos assassinatos e, em operações realizadas com a Polícia Civil, conseguimos tirá-los das ruas”, disse.

Programa vai ajudar na prevenção

Embora tenha ocorrido o decréscimo no número de assassinatos em Uberlândia entre 2012 e 2013, a Polícia Militar (PM) acredita que o resultado ainda não é satisfatório e o trabalho para combater os índices é contínuo. Na prática, conforme o comandante da 9ª Região da Polícia Militar (9ª RPM), Dilmar Crovato, a parceria com a Prefeitura no programa “Crack, é possível vencer” permitirá que as 40 câmeras de videomonitoramento a serem recebidas sejam colocadas em pontos estratégicos da cidade.

Número de homicídios em 2013 cai 11,7% em comparação a 2012 em Uberlândia

Câmeras vão ajudar no monitoramento de áreas de risco (Foto: Cleiton Borges 16/04/2013)

Neste ano, segundo Crovato, os pontos de com maior índice de criminalidade, que culminaram em assassinatos, ficaram concentrados novamente na zona oeste da cidade, com os bairros Canaã e Planalto sendo os focos principais. Fora essa região, os bairros Shopping Park, na zona sul, e alguns pontos dos bairros da zona leste também aparecem no georreferenciamento da polícia.

Assassinato assusta moradores

Um dos casos de assassinatos que mais chamou atenção da população e das autoridades uberlandenses neste ano foi o do corretor de imóveis Marcelo Bernardino Guimarães, de 32 anos, no dia 24 de outubro. Ele foi morto a tiros, sem reagir, por dois criminosos que tentavam roubá-lo no momento em que ele saía de um bar do Mercado Municipal durante a madrugada. Logo após o crime, a Polícia Militar (PM) conseguiu localizar os suspeitos do latrocínio e prendê-los. E, em uma parceria com a Polícia Civil (PC), foi possível autuá-los e indiciá-los à Justiça pelo crime.

Na avaliação da chefe da 1ª Delegacia Regional de Uberlândia, a delegada Márcia Regina Pussoli, para que esse trabalho possa continuar, basta a manutenção da estrutura das delegacias e, principalmente, da Delegacia de Homicídios. Hoje, o setor conta com dois delegados exclusivos responsáveis para atender a todos os casos de assassinatos.

Comentários

7 respostas para “Número de homicídios em 2013 cai 11,7% em comparação a 2012 em Uberlândia”

  1. Balela. Vem o Comandante falar desta diminuição. Continuamos inseguros, e com medo. Os bandidos mandam nas ruas e vem o governo com as estatísticas. Todos pegam números, manipulam e comemoram.

  2. E para que serve a tal da patrulha de prevenção de homicídio??, nunca ví resultado algum concreto que realmente houve a prevenção.. Essa patrulha deveria se chamar patrulha Pós Homicídio. Que é quando eles aparecem para dar declarações falsas e caluniar a vítima que já está morta e não pode mais se defender. Eles veem dizendo que a vítima estava em disputa de ponto de droga no bairro, ou mesmo, a vítima era traficante no bairro. Mas nunca provam isso e mostram as evidencias.

  3. Ainda bem 95% dessa criminalidade esta entre os bandidos (traficantes e usuários). Enquanto estiver entre eles esta bom, podo morrer bandido a vontade. O que devemos preocupar é se isso passar para o lado do bem.

Deixe uma resposta


− seis = 3

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.