Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Número de salões de beleza cresce 70%

Escola de cabeleireiros dobrou o número de alunos em dois anos

Escola de cabeleireiros dobrou o número de alunos em dois anos

O número de novos salões de beleza e estética e barbearias registradas na Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), em Uberlândia, cresceu 69,7% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2010. Entre janeiro e junho deste ano, foram constituídas 236 empresas ligadas a tratamento de beleza no município. Nos primeiros seis meses de 2010 foram 139 negócios do tipo registrados.

Os números confirmam o bom momento para o setor mostrado nos dados da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio), baseados em estudos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa da Fecomércio apontou que o brasileiro tem gasto mensal R$ 1 bilhão com serviços de cabeleireiros.

A consultora de mercado do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Eliana Stein, afirma que esse comportamento do empreendedor é identificado de acordo com o crescimento da demanda. “Hoje presenciamos uma mudança sociocultural. Não é mais só a mulher que cuida da beleza. O homem passou a gastar mais com estética”, disse.

De olho no mercado, o empresário Tiony Bernardino Conde apostou na abertura de uma escola de cabeleireiros. Ele viu no momento atual a oportunidade para investir no próprio negócio após 34 anos de profissão. “Em dois anos, o número de alunos dobrou. O retorno do investimento de R$ 60 mil, que eu esperava ter em um ano e meio, veio logo no primeiro semestre”, disse.

Bióloga prefere ser cabeleireira

A bióloga Líliam Tavares abandonou a profissão há quatro anos para investir em um salão de beleza. A empresária afirma que começou atendendo a uma única cliente por semana. “Hoje a média de clientes é de cerca de 30 pessoas por dia, que buscam diversos serviços”, disse.

Líliam Tavares diz ainda que a renda maior foi um dos fatores que a motivaram a investir no empreendimento. “Logo que me formei, eu recebia um salário mínimo. Hoje o salão me dá um retorno de até R$ 5 mil por mês”, disse.

No salão, Líliam Tavares mantém duas colaboradoras e ainda três prestadores de serviço, como manicures e cabeleireiros.

Consumidor precisa observar serviço

Apesar do aumento de 69,7% no número de salões de beleza e estética e barbearias em Uberlândia, o consumidor precisa ficar atento na hora de procurar esse tipo de serviço. O cabeleireiro Cássio Garcia, que atual há dez anos na profissão, afirma que é preciso haver confiança no trabalho oferecido. Procurar referências e conhecer de perto o serviço são os primeiros passos.

Outro ponto é quanto à qualidade dos produtos usados nos salões. “Se não forem usado os produtos corretos, isso pode comprometer o resultado”, disse.

Cássio Garcia alerta ainda para os cuidados com os materiais e utensílios usados nos procedimentos nos salões de beleza. “É essencial que haja higiene, muitos destes materiais precisam ser esterilizados”, disse.

Famílias gastam R$ 1 bilhão com salões

Os gastos mensais das famílias brasileiras com corte de cabelo, tintura, lavagem, escova e outros tratamentos cresceram 44% entre janeiro de 2002 e dezembro de 2008. É o que apontou um estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) realizado a partir de dados das duas últimas Pesquisas de Orçamento Familiar do IBGE.

Segundo o estudo, o gasto total das famílias brasileiras com cabeleireiros é praticamente o mesmo que mantém com frango. Sendo o gasto com o último somente R$ 10 milhões maior.

Ainda existe uma grande diferença entre os gastos das famílias com cabeleireiros de um extrato social para o outro. Porém o estudo demonstra que essa diferença foi reduzida entre 2002 e 2008. O gasto das famílias da classe C foi o que mais cresceu no período (65%), seguidos pelos das classes D (55%) e E (47%). Os cabeleireiros movimentaram R$ 1,01 bilhão por mês em 2008.

Números:

69,7% foi o crescimento do número de salões de beleza e estética e barbearias em Uberlândia no 1º semestre de 2011 em relação ao ano passado.

Setor de beleza

Empresas constituídas      2010    2011
De janeiro a junho                139      236
De julho a dezembro            168       -

*Fonte: Jucemg/Uberlândia

Empresas de beleza

- cabeleireiros (lavagem, corte, penteado, tingimento e tratamento de cabelo)
- barbearias
- atividades de limpeza de pele, massagem facial e maquiagem
- manicure e pedicure
- depilação

Comentários

4 respostas para “Número de salões de beleza cresce 70%”

Deixe uma resposta


quatro − = 3

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.