Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Oito cursos em Uberlândia obtêm notas insatisfatórias no Enade em 2012

Em Uberlândia, oito cursos de ensino superior tiveram notas consideradas insatisfatórias pelo Ministério da Educação (MEC) no Conceito do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), divulgado pelo órgão na última segunda-feira (7). A condição foi verificada na avaliação feita em 2012 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e em alguns casos houve queda na nota obtida pela instituição em comparação com os índices obtidos pelas graduações em 2009, último ano em que foram avaliadas.

O conceito do curso de Psicologia da UFU passou de 4 para 2 na avaliação. (Foto: Marcos Ribeiro 30/10/2012)

Estão na lista dos que, em Uberlândia, tiraram notas 1 e 2 – ficando abaixo do índice considerado satisfatório pelo MEC no Conceito Enade, que compreende notas entre 3 e 5 – três cursos da Unitri: Publicidade e Propaganda, Ciências Contábeis e Design. Também integram a relação as graduações de Direito da Unipac; as de Design da Uniessa e da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Uberlândia (Esamc); de Tecnologia em Logística da Faculdade Católica de Uberlândia e o curso de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Este último foi o que apresentou a maior queda de 2009 para 2012. O Conceito Enade do curso de Psicologia da UFU passou de 4 para 2 na última avaliação. “É a primeira vez em que a graduação recebe essa nota e estamos discutindo a situação, pois 98% do corpo docente é formado por doutores e, nesses 36 anos de Psicologia, sempre fomos referência no assunto”, disse a diretora do Instituto de Psicologia da UFU, Cláudia Dechichi, que afirmou que vai esperar a pró-reitora de graduação da instituição de ensino, Marisa Lomônaco, retornar de viagem para definirem diretrizes para o curso.

Segundo o reitor da UFU, Elmiro Resende, o que ocorreu no caso do curso de Psicologia da instituição no Enade pode ter sido resultado de um boicote dos alunos. “É necessário avaliar o empenho dos estudantes na realização das provas”, disse, sem apontar um motivo específico para a possível ação dos estudantes.

CORREIO ouve as outras instituições

Os representantes dos outros sete cursos de ensino superior de instituições em Uberlândia que tiveram notas insatisfatórias no Conceito do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) em 2012 foram procurados pela reportagem do CORREIO de Uberlândia para falar sobre o desempenho na avaliação. As notas foram divulgadas pelo Ministério da Educação (MEC) na última segunda-feira (7).

Para o diretor acadêmico da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Uberlândia (Esamc), Adriano Gargalhone Novaes, a nota 2 obtida no curso de Design ocorreu “devido ao baixo número de alunos que fizeram a prova”. Participaram do exame nove estudantes da instituição do total de 12 inscritos.

Para a diretora acadêmica da Unipac, Raquel Ribeiro Neves Bouças, a nota 2 obtida pelo curso de Direito foi uma surpresa. “Esperávamos uma nota maior, porque estamos em terceiro lugar em índice de aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).” O vice-reitor da Unitri, José Maria Mina, afirmou que espera uma notificação do MEC para tomar as devidas providências sobre os cursos de Design, Ciências Contábeis e Publicidade e Propaganda, que tiveram conceito 2 no Enade. A Faculdade Católica de Uberlândia e a Uniessa não responderam aos contatos por telefone feitos ontem pela reportagem do CORREIO.

Conceito Enade - Cursos em Uberlândia com notas insuficientes

Design na Esamc

- Não passou por avaliação em 2009

- Conceito 2 em 2012

Design na Uniessa

- Conceito 3 em 2009

- Conceito 2 em 2012

Direito na Unipac

- Conceito 2 em 2009

- Conceito 2 em 2012

Tecnologia em Logística na Faculdade Católica de Uberlândia

- Não tem registro de 2009

- Conceito 2 em 2012

Psicologia na UFU

- Conceito 4 em 2009

- Conceito 2 em 2012

Design na Unitri

- Conceito 1 em 2009

- Conceito 2 em 2012

Ciências Contábeis na Unitri

- Conceito 3 em 2009

- Conceito 2 em 2012

Publicidade e Propaganda na Unitri

- Conceito 3 em 2009

- Conceito 2 em 2012

Comentários

10 respostas para “Oito cursos em Uberlândia obtêm notas insatisfatórias no Enade em 2012”

  1. O resultado da UNIPAC no curso de direito jamais poderia ter sido melhor.
    Cursei o 1º e o 2º período deste curso lá em 2006 e desisti motivado pela má qualidade do curso e da faculdade. Justificaram aí dizendo que a a UNIPAC ocupa o 3º lugar no ranking nacional de aprovação na OAB, mas não mencionaram que esse ranqueamento é de todas as unidades da UNIPAC no Brasil, pode ser que as outras unidades tenham uma qualidade melhor, mas a daqui não, só está aproveitando o bom conceito das outras unidades.
    Eu tive professor lá na UNIPAC que só fui conhecer no dia da prova, aí ele chegou, se apresentou pra turma e deu uma prova de consulta. Depois disso desisti.

  2. A explicação das notas das universidades de Uberlândia responde também a vários outros casos no Brasil.
    Excluindo o caso do curso de Psicologia da UFU, que pode realmente ser levado como boicote do corpo discente, dada a nota anterior do curso, as demais notas são o estado das instituições particulares de ensino superior: o foco é pagamento e não qualidade de ensino. Vários professores com baixa experiência profissional, desinteresse e falta de foco por conciliarem mais de um emprego e usarem o ensino como segunda fonte de renda, descaso das coordenações dos cursos que se mostram indiferentes às condições de infraestrutura e capacidade didática dos docentes.
    Ainda é possível lembrar que tratam-se de instituições com fins lucrativos, recebe dos alunos por um diploma e não mais por conhecimento. Quanto mais cedo os alunos saem, mais rápido outros podem chegar e pagar as mensalidades de valores atraentes em alguns casos. Diminuindo a “dificuldade” de aprendizado, mais rápido se formam novos “profissionais” com qualidade compatível com a nota do ENADE.
    Chama a atenção ainda o curso de Direito citado na reportagem que justifica a nota baseando-se nas aprovações da OAB. Nos últimos semestres, a instituição passou por casos onde seus alunos ainda cursando Direito conseguiram aprovação na OAB por méritos não da faculdade mas de cursos preparatórios e estudos autônomos e tiveram sua vida “dificultada” pela coordenação para não obterem seu certificado na OAB antes que concluíssem a graduação. Ainda no mesmo local, recentemente fizeram um breve protesto contra as condições de infraestrutura e qualidade de ensino.
    Me pergunto, qual a surpresa, dados os casos citados e a nota anterior em 2009? E qual o mérito da faculdade(para não dizer “empresa”…) sobre os aprovados da OAB, se os alunos precisaram de intensivo preparatório para “encarar” o desafio que a prova da OAB propõe.
    Enquanto o governo permitir a venda de diplomas e não de conhecimento, e os alunos não se colocarem como futuros profissionais de fato e não meros empregados com certificado, acompanharemos com frequência estas notas em testes de desempenho de estudantes.

  3. Viva os supermercados e atacadistas de educação de Uberlândia, onde o que interessa é a quantidade e não a qualidade.
    E ainda dizem que a cidade quer ser polo tecnológico.
    De quê?

  4. Não apenas no curso de DIREITO, mas a UNIPAC em si é uma total furada! Faculdade tem estrutura, mas não tem competência para administração. Má organizada, sentimos o capitalismo a toda prova e qualidade de ensino mesmo… fala sério!
    Sou ex-aluna e não indico essa faculdade pra ninguém. Pague um pouco mais, mas faça sua graduação em uma instituição que leva a sério e que seja comprometida com o ensino, uma que vá lhe transformar em um bom profissional, que é o que importa, não apenas um diploma na mão!

  5. A nota baixa da UNIPAC se deu devido os alunos estarem boicotando a prova do ENADE afim de chamar a atenção do Senhor Leonidio Bouças, a administração e coordenação da sua instituição são faquissimos…

Deixe uma resposta


+ oito = 10

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.