Cidade e Região

Notícias de interesse geral de Uberlândia e região.

17/02/2011 8:10

Paaes aprova mais alunos da rede particular

Jornalista

Os 20 alunos aprovados para o curso de Medicina no Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior (Paaes) 2008-2011 da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), criado exclusivamente para estudantes da rede pública, são de escolas particulares. Levantamento feito no site do Tribunal Regional Federal (TRF) mostra que 11 deles conseguiram se matricular no curso por meio de liminares judiciais.

De acordo com a Diretoria de Processos Seletivos da universidade (DIRPS-UFU), 83,3% das 90 vagas oferecidas pelos cinco cursos mais concorridos no Paaes têm como aprovados alunos da rede privada.
De acordo com Washington Luciano Medeiros, diretor da Escola Estadual Frei Egídio Parisi e representante dos diretores de escolas públicas na DIRPS-UFU, os alunos da rede pública estão se mobilizando e buscando na Justiça o direito as vagas. “A universidade fez o processo inverso, ao invés de aprovar os alunos da rede pública e deixar que os da rede privada entrem na Justiça, fez o contrário”, afirmou.

A estudante Lara Correia Faria, 17, aluna da Escola Estadual Messias Pedreiro, ficou classificada em 36º lugar no Paaes para o curso de Medicina. “Dos candidatos classificados na minha frente, só três são de escolas públicas. Me sinto enganada, vou esperar, tenho esperança de que pode dar certo”, disse.

Por meio de nota oficial a DIRPS-UFU, esclarece que o sistema de inscrição do processo seletivo alertava que o candidato deveria ter cursado os últimos quatro anos do ensino fundamental e todo o ensino médio regular na rede pública. No entanto, segundo a diretoria, vários candidatos apesar de terem afirmado serem de escola públicas apresentaram códigos de identificação de escolas privadas.

Educador diz que UFU cometeu erro

O Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior (Paaes) foi criado pelo Conselho Universitário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) em 2008. O processo seletivo visa preencher 50% do total das vagas dos cursos com entrada semestral e 25% do total das vagas dos cursos com entrada anual com alunos de escolas públicas.

Para preencher as vagas, os candidatos têm que ter cursado os últimos quatro anos do ensino fundamental e todo o ensino médio regular na rede pública.

Com a criação do Paaes, o Programa Alternativo de Ingresso ao Ensino Superior (Paies) foi extinto, o que provocou insatisfação dos alunos da rede particular, que entraram na Justiça em busca do direito de poder ser beneficiados pelo Paaes.

De acordo com o professor Eduardo Macedo, mestre em educação voltado para a área de políticas educacionais, a universidade cometeu um erro ao extinguir o Paies. “Na verdade, os alunos de escolas públicas têm chances bem reduzidas quando concorrem com os de escolas particulares, mas a solução seria criar cotas dentro do Paies”, afirmou.

Tribunal está negando liminares

Uma decisão Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região em Brasília negando o recurso de uma estudante de escola particular que entrou na Justiça requerendo uma vaga do Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior (Paaes), embasada em outras decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), deixa uma alerta aos estudantes que estão na mesma situação.

De acordo com o advogado Adir Campos, especialista em Direito Administrativo, os alunos que conseguem se matricular na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) por meio de liminares judiciais alegando a inconstitucionalidade do Paaes podem perder a vaga a qualquer momento. “Quando o Tribunal tem que tomar decisões em relação ao um mesmo assunto muitas vezes, ele pode tornar isso uma súmula vinculante, uma espécie de consenso”, disse.

Segundo ele, em alguns casos, os alunos matriculados por meio de liminar passam a ter o direito à vaga. “Se este aluno estiver em uma etapa avançada do curso, aí vai vigorar o princípio do fato vinculado e ele não pode sofrer prejuízo”, afirmou.

SAIBA MAIS

Dos 934 aprovados no Paaes, 366 são de escolas particulares

Alunos da rede pública tem direito a 50% das vagas dos cursos semestrais e 25% das vagas dos cursos anuais 

Aprovados nos cursos mais concorridos pelo Paaes

                                        Escolas Particulares          Escolas Públicas

Medicina (integral)                      20                           0
Direito (matutino)                        15                           5
Direito (noturno)                          16                           4
Engenharia civil (integral)           16                           4
Comunicação Social (integral)       8                           2

Tags,

Comentários (32)

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

 

  1. Aline Skarlett disse:17/02/11 9:27

    É um absurdo juizes liberarem liminares para alunos da rede particular de ensino,afinal,estes alunos tem condições financeiras para pagar uma faculdade paricular,condições esta que muitos alunos que estudaram a vida toda em escola pública não tem,tais vagas liberadas pela UFU para os participantes do PAAES são direito único e exclusivo dos estudantes da rede pública.Tem que ser tomada uma atitude tanto da parte dos estudantes, diretoria e reitoria da UFU como da justiça para que não seja liberadas tais liminares,pois esta prejudicando os alunos que realmente precisa desta vaga para poder prestar um curso superior.

    Responder
    • Aline disse:11/02/12 23:14

      Eu estudo em escola particular. Minha mãe passa fome para me dar um bom ensino, eu tenho chance de entrar em uma federal,mas não posso uma particular.Não tenho condições para isso. Estou em uma particular justamente para ter a chance de conseguir uma vaga para medicina em uma federal, pra poder ajudar minha mãe e minha família. Não é só porque eles são de ensino público que quer dizer que eles não tem condições de pagar ensino superior, e não é só porque somos de ensino particular que quer dizer que temos condições. Quem faz a escola é o aluno, sim temos um bom instrutor, mas sem nossa vontade não conseguimos. Se nós alunos de escolas particulares passamos quer dizer que lutamos muito para chegar a esse ponto. Daí vem o governo e nos excluem da lista de aprovados porque alunos de ensino público, que poderiam ter corrido atrás como nós corremos, estudado com nossa vontade de aprendizagem tem preferência. É claro q maracutaia tem, em todo lugar existe. Mas acho que você, Aline Skarlett generalizou demais ao dizer que nós temos condições de pagar ensino superior.

      Responder
      • Karine Azambuja disse:07/06/12 15:33

        E você está defedendo dimais os alunos das escolar particulares sem lembrar que VOCÊ é uma EXCEÇÃO. Aline, minha cara, já que você se esforça tanto com seus professores doutorados porque não entra pelo ENEM, existem sim alunos da rede pública que teem condições de pagar uma universidade particular, mais eles são exceções como você.

        Responder
  2. wilker disse:17/02/11 9:46

    PAAES

    Responder
  3. Larissa disse:17/02/11 11:55

    O total de canditados aprovados em Medicina são de escolas particulares!? Além de ABSURDO, tendo em vista que o pré-requisito fundamental do novo programa é justamente o contrário, ter formação em escolas públicas, a situação é humilhante para aqueles alunos que têm seu direito ignorado de maneira tão escrachada! Incompetência da UFU e da Academia em geral que, de tanto se preocupar em acumular letras mortas em pilhas de papéis, aliena-se a ponto de ser incapaz de produzir efeitos práticos e positivos na sociedade.

    Responder
  4. Larissa disse:17/02/11 11:59

    Todos os canditados aprovados em Medicina são de escolas particulares!? Além de ABSURDO, tendo em vista que o pré-requisito fundamental do novo programa afirma justamente o contrário – exclusividade para alunos formados em escolas públicas – a situação é humilhante para aqueles alunos que têm seu direito ignorado de maneira tão escrachada! Incompetência da UFU e da Academia em geral que, de tanto se preocupar em acumular letras mortas em pilhas de papéis, aliena-se a ponto de ser incapaz de produzir efeitos práticos e positivos na sociedade.

    Responder
  5. Loany disse:17/02/11 12:31

    Só espero que a justiça seja feita, o PAAES é um bénefício da escola pública, e só dela.

    Responder
  6. Gilmar disse:17/02/11 13:59

    Parabéns pela reportagem, o jornalismo tem que estar sempre trazendo informações a população com finalidade de esclarecer e ajudar a resolver as desigualdade entre as classes, não podemos ficarmos observando o poder economico dominar tudo e todos, como passar sobre as regras predeterminadas como é o caso do PAAES.

    Responder
  7. PAULO disse:17/02/11 14:50

    CONCORDO COM A INDIGNAÇÃO….ACHO QUE SO DEVERIA VALER PRA ALUNOS DA REDE PUBLICA…OS QUE REALMENTE PRECISAM DO ENSINO PUBLICO NA UNIVERSIDADE!

    Responder
  8. Luciana disse:17/02/11 16:15

    Penso que o correto é melhorar o ensino publico e não ficar facilitando criando programas para ingresso de alunos na faculdade federal. Se o ensino publico é ruim e nao da base a ufu se eu nao me engano tambem é ensino publico, não da pra entender né.

    Responder
  9. Maria Aparecida Silva disse:17/02/11 16:32

    Isso é uma pornografia!estes medicos não vão ficar nos postinhos,nem hospitais públicos,vão para hospitais,clinicas caras ao formarem!Não reverteram nenhum beneficio em prol da sociedade,isso é um absurdo!Cassem estas liminares UFU,ou voces vão ficarem com a cara grande no mundo inteiro!Não aceito meus impostos pagarem universidade publica sói para bacana!

    Responder
    • André Luís de Araújo. disse:20/02/11 0:58

      Os bacanas pagam muito mais impostos que você. Pode ficar traquila. Presumo que seus impostos não cumbram seus atendimentos nas UAIs, se é que possa o que paga ser chamado de imposto seu.

      Responder
  10. Rone Card disse:17/02/11 16:41

    Vamo que vamoo BRASIL!! Palhaçaaaaada! 20 aprovados em medicina foi o pior! ¬¬

    Responder
  11. Solange disse:17/02/11 16:51

    Meu povo o buraco é muito mais embaixo!!! Precisamos, nós os menos favorecidos é lutar por uma escola publica de qualidade! Basta estudar um pouquinho da História da Educação e vão entender o meu ponto de vista! No Brasil inicialmente a escola era somente para as elites, filho de pobre não passava nem na porta das escolas, aos poucos foram deixando os pobres estudarem, mas a qualidade vem decaindo cada vez mais, e mesmo as vagas nas escolas publicas muitas vezes foram ocupadas pela classe média que tinham moral com diretores de escola que preferiam dar a vaga para ELES do que pro menininho da VILA”!Por isso é evidente, que se deve brigar é para que a qualidade nas escolas publicas seja otima que os professores sejam bem remunerados, que tenham uma boa formação, que não precisem mendigar dobra de turno e ter 2,3 empregos! Que os alunos tenham aulas em um turno para preparem para o ingresso em uma FEDERAL e noutro turno se preparem também para o mercado de trabalho, tenham direito a falar e escrever corretamente no minimo uma lingua estrangeira de verdade( não essa falsidade que oferecem só para cumprirem a lei)´inclusive deveriamos lutar para que os pais tivessem um salario justo e pudessem inclusive acompanhar a vida escolar dos filho.

    Responder
  12. Maria Aparecida Silva disse:17/02/11 17:47

    Muitos não sabem que esteas escolas particulares tem professores que corrigem provas na UFU.No dia do Paaes,vi uma aluna dizendo que o professor passou a questão no quadro que caiu na prova.Muito comodo,não é,ai qualquer um passa na frente do outro!Tem muitas maracutaias nisso,abaixo as escolas particulares no PAAES,cassem estas liminares,divulguem os encontros das amnifestações par airem mais estudantes!Nosso voto tambem vale,cuidado po

    Responder
  13. Juliana disse:17/02/11 17:53

    ABSURDO é existirem diferenças entre ensino publico e particular, não deviamos estar lutando por “fatias” das vagas, e SIM por um ensino de QUALIDADE e de MESMO nivel para qualquer escola, seja ela publica ou privada. CUlpado eh esse governo que pega esses ABSURDOS de impostos que sao pagos todos dias e guarda no bolso, ao invez de proporcionar ao menos um ensino digno para TODOS!

    Responder
    • Aline disse:11/02/12 23:14

      Você falou tudo !

      Responder
  14. Janaina disse:17/02/11 21:41

    Muito boa a repórtagem, estão de parabéns.
    PAAES para escolas públicas e cumprimento do edital.

    Responder
  15. André Luís de Araújo. disse:18/02/11 0:18

    Ensino superior é coisa séria, é para quem pode, não para quem quer.
    Imagine-se em uma mesa de cirurgia com um médico que ingressara na universidade pelas portas dos fundos. O mais preparado no ensino fundamental o será no ensino médio, na faculdade e na vida. Essa é a verdade.
    Deus me livre de um médico que tenha ingressado e cursado faculdade pelo critério de cotas.

    Responder
    • Raquel Silva disse:18/02/11 8:35

      Acho em primeiro lugar desonesto alunos da rede particular entrar na UFU por meio de cotas destinadas à alunos de escolas públicas.Que tipo de profissional vai ser? Aquele que acha que vale tudo para conseguir seus interesses?
      Agora é hora de fazer vigorar o edital do PAAES, que diz que é condição essencial para matricula ser aluno da rede publica.

      Responder
    • Gilmar disse:18/02/11 10:02

      Hamilton Naki (26 de junho de 1926 – 29 de maio de 2005) foi um “cirurgião” e professor sul-africano sem nenhuma formação acadêmica ou diploma. Citado em diversas publicações como assistente cirúrgico do doutor Christiaan Barnard, nas investigações que resultaram no primeiro transplante de coração realizado com êxito no mundo, no Groote Schuur Hospital, na África dos Sul, em 1967. Naki, em entrevista, disse que participou da intervenção que resultou no transplante histórico, embora não haja nenhum registro no hospital sobre a sua colaboração no feito.
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Hamilton_Naki

      Conta a história que ele não podia aparecer por que era negro e não podia ser a ele atribuido tamanho feito, e como ele temos muitos casos em que a exclusão deixou de lado grandes personalidades da história recente que a principio foram reconhecidos mais tarde, aliás temos casos de erros médicos que não tem nada com os sistemas de cotas, vamos deixar de demagogia.

      Responder
    • Maria Aparecida Silva disse:18/02/11 10:06

      Acontece que quem entrou agora foi usando as cotas do estudante de escola pública!Deus me livre d eser atendida por um medico que roubou a vaga d eoutro na universidade!Isso já demonstra a frieza,o caráter que irá seguir pela vida.Outrossim o estudante de escoal pública é muito responsável,aprende tudo que lhes ensinam,vai pro amor a carreira,não proque o papai,ou a maãe rica o obriga.Isos aCONTECE NAS FAMILAIS RICAS O AMURICINHO OU PATRICINHA SÃO OBRIGADOS A ESTUDAR A

      Responder
  16. Rangel disse:20/02/11 18:06

    Dúvido que esses alunos de escolas particulares ficarão com as vagas que estão usurpando. Confio na UFU, fiquem tranquilos.

    Esses juízes têm seus filhos estudando onde, hein?

    Responder
  17. Maria Aparecida Silva disse:21/02/11 18:28

    http://glo.bo/fTLGLf vejam o que aconteceu com um engraçadinho que quis passar nas cotas sociais em medicina no RGNorte.Detalhe,ele estudou em escola particular.

    Responder
    • Gustavo disse:03/03/11 15:28

      HAHAHA eu tenho é que rir na cara desses idiotas que acham que o PAAES eh correto. Colocar um bando de despreparados e mal-ensinados pra fazer engenharia, ou mesmo qualquer curso de grande dificuldade na ufu. Ainda bem que os alunos das particulares conseguiram fazer matricula, caso contrario, o nível da ufu ia cair drasticamente. Claro que existem excessões. Alguns alunos de escolas publicas, se esforçaram, mesmo tendo mais dificuldades e, por isso, passaram. Fui aluno de escola particular e passei pelo paaes por meio de liminar. No primeiro dia de aula uma aluno de escola publica pergunta para a professora o que é um paralelepípedo!!! Como pode uma aluna que faz engenharia numa faculdade federal não saber algo que aprendi na 2ª série???
      Paaes para escolas públicas é o caralho! O que deve ser feito é um gigantesco investimento do governo na educação pública, e não a discriminação.

      Responder
      • Lineker Dias disse:12/10/11 14:54

        Gustavo, patética sua exposição. Quer comparar o ensino público com o privado? Ao que me parece, atribui o fato de uma aluna de escola pública ser mais despreparada (em relação ao de uma escola particular), a ela ter se esforçado menos que um aluno oriundo de um ensino privado. Aí que se engana. Alunos de escolas particulares não se esforçaram mais que os de escolas públicas. A diferença está na qualidade de ensino. Professores da rede particular, fora a qualidade de ensino superam explicitamente o ensino público. Não porquê um aluno não se esforçou, e sim pela condição a qual ele está sujeito. Há muitos alunos da rede pública de ensino de “desdobrando do avesso” para aprender, devido a qualidade do ensino a qual estão sujeito. Meça suas palavras. Jamais se poderá colocar frente a frente dois adolescentes de redes de ensino distintas e compará-los. O ensino público é falho, o particular não. QUE SE FAÇA VIGORAR O EDITAL !

        Responder
  18. Julianne disse:05/05/11 7:55

    Fui aluna de escola particular meu ensino fundamental todo, mas eu sempre fui bolsista. Não tenho condições de pagar uma faculdade, e estou estudando em uma escola publica no ensino medio, pois perdi a bolsa e não tenho condições de pagar uma escola particular. Mas fiquei triste ao saber que não poderia fazer o PAEES pois eu sempre sonhei em estudar na UFU, e pra passar terei que concorrer com quem está numa escola preparatória. Acho que antes de julgarem quem deve ou não entrar, todo mundo deveria pensar que antes de tirar os benefícios de alguém, deverião era apelar para o governo melhorar o ensino de uma escola pública, para capacitar todos os alunos de maneira igual.

    Responder
  19. Samara disse:05/05/11 8:03

    Absurdo é entrar pessoas em uma federal que não lembra nem o que aprendeu ontem. Absurdo é os alunos de escolas pública quererem facilidade. OS ALUNOS DE ESCOLA PARTICULAR SOFRERAM UMA VIDA INTEIRA PARA ESTUDAR E ALCANÇAR BOAS NOTAS. Os alunos de escola pública aprendem metade do que uma escola particular ensina. Acho que como os alunos de escola particular tem que enfrentar um vestibular da UFU, os alunos de escolas públicas tbm deveria tentar passar estudando tudo o que eles não estudaram uma vida inteira. Estudar sozinhos, pegar livros, correr atrás. Não é bem assim não, os alunos de escola particular, estudaram uma vida inteira, agora quem teve estudo fraco, sem qualidade de uma escola pública tem que ter facilidade? Aah, assim não dá né sociedade –’

    Responder
    • Wilson Junior disse:01/10/11 21:22

      Acho uma vergonha eles fazerem isso. Todos tem direitos iguais, só porque quem estuda em escola pública tem um ensino mais básico num é que só eles podem não. Escolas públicas também tem direito, a gente se mata pra estudar, damos muito mais do que pessoas da escola pública, fazemos de tudo pra tirar notas boa pra cursar uma universidade federal, que aliás de ser muito mais superior do que particular. VERGONHA DESSE BRASIL, UFU DESONESTA, PUXA SACO… É isso que eu acho, o juizes deviam liberar todos os casos, seus preguiçosos querem só facilidades pra entrar em uma universidade federal, só porque pagamos pra estudar num é que temos dinheiro sufuciente pra faculdade particular não. Acho que isso deve ter um ponto final. E vão estudar pra alcançar a gente… :P

      Responder
  20. ernane disse:19/09/11 11:55

    Olha sinceramente nao vejo nehum fundamento em se defender que esistao cotas para escola publica e para outras classes.Pois o estado publico brasileiro nao da conta de fornecer vagas suficientes a todos os alunos,e mais quem estuda em escola particular nao tem um diferencial ao recolher seus impostos ou seja paga o mesmo ou ainda mais que os estudantes da rede publica.Sem contar q a grande maioria dos alunos da rede particular passa muitas vezes por privaçoes em outras partes economicas para dar um ensino de qualidade para os filhos, Quantos pais de alunos da rede publica nao paga prestaçoes alticimas de carroes e nao tem coragem de pagar uma mensalidade escolar, para q o filho tenha um ensino descente.
    Gente vamos acordar. QUE DEMOCRACIA E ESSA. TODOS SOMOS IGUAIS PERANTE A LEI.

    Responder
  21. Karine Azambuja disse:07/06/12 15:27

    Por isso que o Brasil está nessa situação, sempre beneficiando a classe média alta. Sou aluna de escola pública me empenho pra cursar medicina, e vem um filhinho de papai que teve uma oportunidade de ensino melhor que a minha, que teve acesso a várias coisas que eu não tive por eu ser pobre e fica com a minha vaga? ISSO É UMA ABSURDO.

    Responder
  22. kelviny disse:12/10/12 0:05

    Manda essa cambada de parasitas ralsrem de la, pois estao pegando algo que é direito de alunos de escola publica. Por favor VAZAM INFELIZES

    Responder