Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Paralisação afeta atividades na UFU

Categoria realizou assembleia geral que definiu pela adesão ao movimento grevista

A partir desta quinta-feira (16) servidores técnico-administrativos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) estão em greve. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições Federais de Ensino Superior (Sintet-UFU), 70% dos servidores ligados à entidade paralisaram as atividades na pediatria ambulatorial do Hospital de Clínicas. No campus Pontal, em Ituiutaba, 80% dos servidores pararam. As bibliotecas dos campi Umuarama e Santa Mônica da UFU passaram a tarde apenas com funcionários terceirizados.

Junto a outras 44 universidades federais que também estão em greve, os servidores da UFU reivindicam complementos salariais negociados em 2006, apresentação de recursos para pagar o piso salarial de três salários mínimos (R$ 1.635), pagamento dos incentivos à qualificação e equiparação salarial de servidores que executam a mesma tarefa, mas têm registros diferentes.

“Definiremos o comando de greve e as diretrizes. Esperamos que segunda-feira a paralisação seja maior”, afirmou Sirle de Souza, coordenadora de formação sindical.

O sindicato não soube precisar quantas pessoas aderiram ao movimento. Na UFU, há cerca de 4 mil servidores técnico-administrativos, que incluem assessores de comunicação, engenheiros, enfermeiros, médicos, assistentes sociais e outras profissões.

Movimento não afeta urgência e emergência

A greve não deve afetar os atendimentos de urgência e emergência no Hospital de Clínicas da UFU. Segundo o Sintet, apenas os atendimentos ambulatoriais e as cirurgias eletivas sofrerão redução de pessoal. “O hospital não pode parar de uma vez. Uma comissão de ética será criada para estudar as intervenções dentro do HC”, afirmou Sirle de Souza.

De acordo com a assessoria de comunicação do HC-UFU, a greve não interferiu nos atendimentos nesta quinta-feira (16).

Reitor

O reitor da Universidade Federal de Uberlândia, Alfredo Júlio Fernandes Neto, participa hoje (16) e amanhã (17) de uma reunião da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) em Santo André (SP) para discutir sobre a greve nas instituições. “Estamos a mediar com o Governo para resolver o mais rápido possível”, afirmou.

Comentários

4 respostas para “Paralisação afeta atividades na UFU”

  1. Sinceramente, é um absurdo o que esse pessoal está fazendo. Com movimento grevista em prejuízo aos alunos e demais usuários da instituição

Deixe uma resposta


7 + seis =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.