Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Parcelamento do seguro obrigatório Dpvat começa valer neste ano

Virgília Rocha vai pagar o seguro obrigatório parcelado e usar o dinheiro para manutenção da moto

O seguro obrigatório contra Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat) para motocicletas, vans, ônibus e miro-ônibus pode ser pago em três parcelas. É a primeira vez que o valor do seguro pode ser divido e o benefício não se aplica aos veículos dessas categorias que vão fazer o primeiro licenciamento (carros 0 km).

Apesar de as guias serem emitidas separadamente do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o vencimento do Dpvat segue o mesmo do IPVA, de acordo com a numeração da placa. Já os proprietários de carros, caminhões e caminhonetes devem pagar o seguro à vista.

Segundo o diretor de relações institucionais da Seguradora Líder, que administra o Dpvat, Márcio Norton, a possibilidade de parcelar o seguro apenas para quatro das seis categorias de automotores é devido ao valor de cada apólice. “Como existem mais acidentes envolvendo motos, vans, ônibus e micro-ônibus, os valores dos seguros são bem mais altos dos que dos carros, caminhões e caminhonetes. E para dividir o valor, é necessário que cada parcela seja de pelo menos R$ 70, o que não abrange essas últimas categorias”, afirmou Norton.

A vendedora Virgília Rocha é dona de uma motocicleta e já decidiu que vai pagar o seguro obrigatório parcelado. “Dividindo esse valor, eu vou poder investir mais na minha moto, como troca de óleo, troca de peças e de pneus. Além disso, eu vou poder pagar o IPVA à vista com desconto”, disse.

Boletos

As guias para pagamento do seguro obrigatório tanto dos veículos com benefício de parcelamento quanto dos outros devem ser geradas no site do Dpvat. Na página eletrônica também é possível saber quais bancos recebem o recolhimento.

Comentários

13 respostas para “Parcelamento do seguro obrigatório Dpvat começa valer neste ano”

  1. Infelizmente isso só acontece em nosso País … fazem um alarde de que estão “beneficiando o povo”, quando na realidade tudo não passa de uma grande enganação. Vejam só:

    DPVAT de motocicletas R$292,01 sai por 3x de R$99,17 (total R$297,51), sendo que as parcelas deverão ser quitadas até o vencimento do licenciamento.

    Ou seja, considerando que o final 0 no RS vence em julho, é mais caro pagar duas parcelas antecipadamente do que deixar para pagar tudo em julho.

    Então lhes pergunto: Por qual motivo uma pessoa em sã consciência vai pagar R$5,50 a mais para parcelar se é possível ficar com o dinheiro e deixar para pagar tudo na data do último vencimento, “com desconto”?

  2. Minha moto esta atrasada desde 2008 seu eu fosse pagar teria que pagar RS 1,500 eu nunca vou pagar se me pergar numa blitz podem levar! Se eu comprar uma moto nova vou ser roubado a minha velinha se levar pro patio eu compro outra usada baratinha… Papo furado ta muito caro pra selar um veiculo se tivesse uma outra seguradora acho que seria mais barato o Selo!

  3. Gabriel!!
    Talvez a pessoa esteja preocupada em estar protegida pela cobertura do DPVAT. Minha dúvida é:- Se a 1ª parcela estiver paga, a pessoa poderá se considera protegida pela cobertura do DPVAT.

  4. Concordo com o amigo Gabriel em gênero, número e grau, isso só acontece em nosso País…o povo é muito ingênuo para não utilizar outro termo…. e ainda votam nesses políticos corruptos que dizem ser do povo.

  5. A minha pergunta é a mesma que a de Sérgio H. dos Santos:
    “Se a 1ª parcela estiver paga, a pessoa poderá se considerar protegida pela cobertura do DPVAT.”?

  6. Comprei um veiculo motociclo em novembro com emissão e retirada do veiculo em dezembro 2013.
    O seguro obrigatório me foi cobrado integralmente ou seja r$ 292,01.
    Pergunto:
    Esta correto esta cobrança, ou este prêmio deveria ser proporcional ou estou coberto até final de 2014?
    Agradecido, fico no aguardo
    Att
    Alberto

Deixe uma resposta


um + = 2

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.