Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

PM é atropelado por motorista infrator

Um policial militar foi atropelado nesta sexta-feira (4) à tarde depois de advertir um motorista que falava ao celular enquanto dirigia. O acidente foi na rua João Velasco Andrade, antiga sete, no bairro Santa Mônica, zona leste de Uberlândia.

De acordo com informações da Polícia Militar, o militar atropelado seguia para o trabalho quando emparelhou a motocicleta em que estava com o motorista de um monza, que falava ao celular. O militar teria advertido verbalmente o condutor do carro, que não respeitou a ordem para desligar o aparelho.

O PM pediu para que o rapaz parasse o carro e ele novamente desobedeceu o pedido e acelerou causando uma batida, sem vítima, com outro veículo que passava pelo local. Ao dar ré para tentar fugir do acidente, o homem atropelou o militar, fugiu a pé e entrou no campus da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o militar foi socorrido e encaminhado a um hospital particular com suspeita de fraturas nas pernas. A PM não informou o nome do militar envolvido no acidente e não localizou o motorista infrator.

Comentários

13 respostas para “PM é atropelado por motorista infrator”

  1. 90% dos uberlandenses falam ao celular enquanto dirigem, se fossem todos abordados e multados, o detran ficaria mais rico do que já é…

  2. o imbecil do policial esta errado primeiro tinha q ter blitz para detectar o que esta errado e segundo nao parar ao lado do carro da pessoa e começar a dar sermao ta errado nao tem culpa o motorista do monza de modo algum policiais sao ridiculos

  3. Se esse a quem você chama de imbecil, tivesse feito vista grossa ao indivíduo que falava ao celular e ele tivesse atropelado e matado algum parente seu, pela desatenção enquanto dirigia, será que você faria o mesmo comentário? Imbecil é quem vê coisas erradas e nada faz!

  4. Seu comentário foi o mais ridículo que eu já, um PM só não pode como deve abordar qualquer um que ele ache suspeito ou que estiver cometendo qualquer infração.

  5. O militar estava certo fazendo o seu papel manter a ordem idependente de blitz ou não mas como aqui em Uberlandia os motoristas são todos folgados e mal educados dai esse resultado todos os dias mortes e atropelamentos e enquanto ouver pessoas que são coniventes com essa situação vamos rezar pra que a vitima não seje ele ou sua familia afinal mesmo na terra sem lei verto é certo e e

  6. Parabéns ao PM pela atitude! Desejo-lhe rápida melhora. Fez uma coisa que não se vê no Brasil, que é a interceptação do condutor no ato da infração. É assim que se muda o comportamento do condutor nesse país onde impera a impunidade, sem força policial suficiente, com 50 mil mortes por ano no trânsito e uma das piores estatísticas mundiais, junto com China, Índia e Rússia. Estudo da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) revela que as maiores causas das mortes são dirigir alcoolizado e FALAR NO CELULAR.

    Larissa, você já tem mais informações? Pelo relato o infrator cometeu diversas infrações: desrespeito à autoridade, colisão, atropelamento e abandono da vítima. O que poderia explicar esse comportamento desproporcional? Se ele fugiu a pé o proprietário do veículo deve ser localizado pela placa.

  7. Eu vi esse acidente depois de ocorrido. Foi ao lado do conjunto de prédios Carandiru, ao lado da UFU. Passei lá e fiquei pensando: que merda fizeram aqui para a cena das batidas ficar desse jeito?? Tinha um monza azul, uma moto embaixo do monza, um 307 e outro carro que não lembro. O PM não tinha nada que “emparelhar” com o carro. PM é para cuidar de crime, não de infração de trânsito. Isso é da SETRAN.

  8. O policial fez errado mesmo. Ele tinha que emparelhar um 38 na cabeça do indivíduo, engravatar ele com celular e tudo, jogar no chão e pisar nas partes íntimas dele com muita força. Depois era só esperar chegar o reforço e o guincho, por que esse Monza aí já é conhecido.

Deixe uma resposta


oito − = 5

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.