Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Prefeitura assume dívida de R$ 49 milhões

A Prefeitura de Uberlândia vai assumir a dívida trabalhista da Fundação Maçônica Manoel dos Santos, responsável pela administração de seis Unidades de Atendimento Integrado (UAIs). A estimativa é que a dívida esteja na casa dos R$ 49 milhões.

A medida foi autorizada ontem pela Câmara Municipal de Uberlândia, que votou um projeto de lei que também padroniza a parte operacional das unidades de saúde da cidade, como UAIS, postos do Programa Saúde da Família (PSFs) e o Hospital e Maternidade Municipal, controladas por diferentes instituições. Pelo projeto, o município assume a dívida desde que não haja demissões dos atuais empregados durante o processo de transição de controle das UAIs, que deixarão de ser administradas pela Fundação. Outra contrapartida é que só serão permitidas futuras contratações mediante processo seletivo.

Segundo o líder do Executivo na Casa, vereador Wilson Pinheiro (PTC), a lei vem para findar um processo que se iniciou há 12 anos e envolveu termos de ajustes de conduta e negociações com o Ministério Público. “A Prefeitura tem que assumir essa dívida porque ela terceirizou o serviço, que veio a ajudá-la a cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. As dívidas dizem respeito às ‘verbas indiscutíveis’, como férias, 13º salários e horas extras”, afirmou.

O vereador Delfino Rodrigues (PT) apresentou uma emenda que limita a responsabilidade do município em relação aos encargos trabalhistas, mas não foi aprovada.

Valores serão votados na semana que vem

Segundo o presidente da Câmara, vereador Vilmar Resende (PP), na sessão de hoje será votado o reajuste dos salários para o próximo mandato de prefeito, vice-prefeito e secretários municipais.

O reajuste salarial para servidores públicos será votado na próxima semana, em sessão extraordinária. “Possivelmente, vamos votar o projeto no dia 22 ou 23. Estamos aguardando apurações de valores, recursos que vão chegar à prefeitura, para que façamos o reajuste”, afirmou Resende.

De acordo com o líder do Executivo na Casa, vereador Wilson Pinheiro (PTC), o projeto será encaminhado à Câmara após o prefeito Odelmo Leão viajar para Belo Horizonte, na sexta-feira, para negociar com o governo estadual a possibilidade de crescimento da arrecadação por conta do aumento do Valor Adicionado Fiscal (VAF) da Souza Cruz. “Os reajustes, nos últimos anos, sempre foram acima da inflação. Neste ano, o prefeito está estudando o orçamento do município com duas preocupações: a estagnação da economia brasileira e o crescimento ou não da arrecadação do VAF”, afirmou.

Comentários

9 respostas para “Prefeitura assume dívida de R$ 49 milhões”

  1. A VERDADE E QUE NAO ESTAO DEFENDENDO OS DIREITOS DOS TRABALHADORES DAS UAIS,MAS SIM AJUNDANDO AQUELES QUE ADMINISTRARAM DE FORMA ERRONEA A ENTIDADE!

  2. ALGUÉM LEVOU E VAI LEVAR VANTAGEM NESTE NEGOCIO E NÃO SOMOS NÓS CONTRIBUINTES. QUANDO ZAIRE TENTOU ROMPER ESTE CONTRATO COM A MAÇONARIA, FOI TRUCIDADO PELOS VEREADORES QUE HOJE APROVA O ROMPIMENTO DO CONTRATO, JUNTAMENTE COM O GRUPO QUE ESTA NO GOVERNO. GENTE É UM PREMIO DA MEGASENA E ESTE VALOR VAI AUMENTAR COM ABSOLUTA CERTEZA.

  3. Fiquei arrepiado quando li:
    “PADRONIZA A PARTE OPERACIONAL DAS UNIDADES DE SAÚDE DA CIDADE”
    Vão padronizar tendo como referência base o quê?
    Quem usa as UAIs sabe que ninguém quer aquilo como padrão.
    Os PSFs? Também não são modelo pra ninguém.
    O hospital municipal? Muita maquiagem, pouco conteúdo e administrado por uma empresa nada idônea, que o digam seus fornecedores.
    É só pesquisar. O google tá aí pra quem quiser digitar “os milhões da SPDM”.
    Eu me assustei com o histórico.

  4. O absolutismo prevalece na cãmara municipal dessa cidade. Herança provinciana, modelo totalitário. Antes com Zaire votaram contra e agora atendendo aos seus interesses votam a favor. E em relação as empresas de vigilância, de transporte público, que vivem falindo e mudando de dono, a PMU assumirá os encargos decorrentes da área trabalhistas? O privilégio não pode ser só para a fundação macônica??? cadê o MP???

  5. Deram 54% de aumento para os vereadores que nem concurso precisaram fazer e aposto que vão dar reajuste para os servidores públicos de no máximo 8%………..é tudo uma vergonha……………..

  6. ESTE HOSPITAL E PARA DOENTE VER,SE VOÇE E AMIGO DA SITUAÇÃO ,TU ES INTERNADO, HOSPITAL SO PARA OS AMIGOS DO PREFEITO,OS AMIGOS MAÇONS, POBRE EM UBERLANDIA O DISTINO UMA BENÇEDEIRA,MAE DE SANTO OU BOM PASTOR……..

  7. Realidade: terceirização no serviço público é sinônimo de: precarização das relações trabalhistas..nenhuma melhoria no atendimento…aumento nos custos (estudos mostram que naturalmente os custos são mais altos, não estou nem considerando as dívidas trabalhistas que o contratante tem que assumir na maioria das vezes). Detalhe: desde quando uma fundação maçônica tem capacidade técnica de adminitrar um hospital? Questão 2 – E o novo hospital municipal..quem garante que não vai dar o mesmo problema? 3 – cada unidade é administrada por um grupo doferente com interesses próprios..é possível ter política pública de saúde assim? Deixo esta última resposta para o usuário do sistema

Deixe uma resposta


2 + = sete

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.