Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Prefeitura de Uberlândia assina convênio para servidores municipais

O anúncio do novo plano de saúde foi feito nesta quinta-feira na prefeitura

Servidores da prefeitura e da Câmara de Uberlândia terão plano de saúde garantido até o dia 31 de dezembro deste ano.

A administração municipal e o Hospital e Maternidade Madrecor assinaram nesta quinta-feira (25) um convênio emergencial a fim de garantir atendimento médico aos funcionários públicos municipais, que estavam sem plano de saúde desde o dia 1° de outubro, data em que encerrou o contrato com a operadora Intermédica.

Os atendimentos começarão no dia 1° de novembro. Ao final do contrato emergencial, o convênio poderá ser prorrogado por mais 180 dias, caso haja aval do próximo prefeito. Desde o dia 4 deste mês, por determinação do Ministério Público Estadual (MPE), a prefeitura passou a arcar com os custos médicos de servidores públicos que, sem convênio, eram encaminhados à rede particular.

A secretária de Administração, Marly Melazo, não soube informar o valor gasto pela prefeitura após a suspensão do convênio médico com a Intermédica, que atendia a 18 mil pessoas, entre funcionários e familiares.

Com o novo plano de saúde, a prioridade dos atendimentos será para casos considerados emergenciais, como doentes crônicos, pacientes em radio ou quimioterapia, cirurgias já marcadas, partos dentre outros.

Servidores interessados nos atendimentos terão de, primeiramente, aderir ao plano de saúde do Madrecor. Demandas médicas que não são cobertas pelo Madrecor, como atendimentos domiciliares, serão atendidas por empresas que já foram contratadas pela prefeitura por conta da determinação do MPE. Ao contrário do convênio anterior, não será possível aderir ao plano médico tipo familiar.

Valor convênio

O Hospital e Maternidade Madrecor vai receber de acordo com o tipo e a quantidade de atendimentos médicos feitos por meio do convênio emergencial assinado com a Prefeitura de Uberlândia. Segundo a secretária de Administração, Marly Melazo, ainda não é possível saber o valor que será gasto com o novo plano de saúde. “Vai depender da quantidade de atendimentos que serão feitos até dezembro”, afirmou.

Prefeito quer processar intermédica

O prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, anunciou que irá entrar na Justiça contra a Intermédica, operadora responsável pelo antigo convênio médico dos servidores municipais. Segundo ele, ao final do contrato, a empresa teria deixado de atender pacientes em casos emergenciais, além de não ter cumprido com acordos firmados com o município. “No contrato havia um artigo que dizia que, em caso de rompimento do contrato, a empresa teria de manter os pacientes em tratamento até que houvesse alta médica”, disse.

O contrato com a Intermédica terminou em dezembro do ano passado e foi prorrogado por duas vezes diante de reajustes de 38% e 70% do valor inicial. O intuito era dar continuidade aos atendimentos médicos enquanto a prefeitura realizasse os processos licitatórios para contratação de outra operadora.

De julho a outubro deste ano, a prefeitura fez dois processos licitatórios, mas não apareceram empresas interessadas. A assessoria da Intermédica não respondeu à reportagem do CORREIO de Uberlândia.

A Intermédica, empresa responsável pelo antigo convênio médico dos servidores públicos municipais, informou, por meio de nota, que respeitou o contrato firmado com a prefeitura de Uberlândia. De acordo a nota, o contrato, que foi prorrogado por nove meses para que o município pudesse contratar outra operadora de plano de saúde, se extinguiu em conformidade com o que foi acordado entre as partes em reunião no Ministério Público Estadual.

A nota contraria as declarações proferidas anteontem pelo prefeito Odelmo Leão, que afirmou querer processar a Intermédica por não ter cumprido integralmente o contrato firmado.

Comentários

6 respostas para “Prefeitura de Uberlândia assina convênio para servidores municipais”

  1. “Prioridade dos atendimentos será para casos considerados emergenciais, como doentes crônicos, pacientes em radio ou quimioterapia, cirurgias já marcadas, partos dentre outros”. O restante dos sofredores municipais terão que entrar na fila e aguardar até acabar a gestão do coroné. Que final de festa. Será que o Gilmar vai nos ajudar???? Espero que sim, senão…espeeeeeeeeeeeeeeera pra tu vê!!!!!!!!

  2. Nossa senhor prefeito pra que tanta preocupação com convênio médico para os servidores o serviço de saúde pública em Uberlãndia não é exelente? Ao menos era o que o senhor falava nas propagandas!

  3. Fico me perguntando o que aconteceu com a administração Odelmo nesse fim de mandato…

    Perceberam, tarde, o quanto de oportunista tinham ao lado deles.

    Uma coisa é certa, as máscaras caem, cedo ou tarde, e foi uma pena que o grupo do Odelmo não tenha percebido o tanto de sangue sugas tinham no meio deles.

Deixe uma resposta


1 + nove =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.