Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Primeiro dia de greve dos docentes da UFU tem baixa adesão




Docentes decretaram greve por tempo indeterminado

O primeiro dia de greve dos professores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) teve pouca adesão dos docentes. Durante a manhã desta quinta-feira (17), alguns cursos como Economia e Agronomia, por exemplo, estavam tendo aulas normalmente. Mesmo assim, o início da paralisação, que é por tempo indeterminado, preocupou os alunos. “Parar as aulas vai ser ruim para a gente. Eu estou no 7º período e vou demorar mais para formar”, disse Lucas Andrade Barbosa, estudante de Agronomia.


Ângela Moreno, estudante do 3º período de Letras, disse que o prejuízo será maior por ser fim de semestre. “Estamos terminando o período, em época de provas, perto de entrar de férias. Por isso a paralisação será ruim, vamos ficar sem férias e vai atrasar todo o calendário”, afirmou.


De acordo com o presidente da Associação dos Docentes da UFU (Adufu), Aurelino José Ferreira Filho, todas as aulas perdidas serão repostas depois da greve. “Não queremos prejudicar os alunos, mas foi a única forma que encontramos para reivindicar os direitos, já que o governo federal não negocia. Queremos ficar o menor tempo parados e terminamos a greve assim que o governo negociar conosco”, disse o presidente da Adufu.





Lucas Andrade Barbosa está no 7º período de Agronomia e disse que greve vai atrapalhar a conclusão do curso

A medida foi tomada para reivindicar a reestruturação da carreira dos docentes, com incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios, variação em 5% entre níveis e implantação do piso de R$ 2.329,35 para 20 horas de trabalho, enquanto hoje é de R$ 557,19, de acordo com a Adufu, e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho. Além da UFU, a paralisação abrange 85% das universidades federais. Aurelino Filho não soube estimar quantos professores da universidade aderiram à greve. Durante a manhã alguns docentes fizeram um movimento, com alto-falantes, no campus Santa Mônica. Na sequência seguiram para o campus Umuarama. À noite, o movimento será feito no campus Pontal, em Ituiutaba. “É a partir de agora que a greve começa a ganhar corpo”, disse.


Estudantes apoiam o movimento


Alguns estudantes da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) apoiam o movimento de greve dos professores da instituição. Aluno do curso de Economia, Guilherme Antunes de Castro, por exemplo, concorda com a paralisação. “É um movimento justo, para que eles [professores] consigam os direitos que estão reivindicando. Mas mesmo concordando, sei que seremos prejudicados pela falta de aulas, mesmo repondo depois”, disse.


O professor do curso de Geografia Túlio Barbosa, um dos docentes que aderiu à paralisação, disse que o objetivo não é prejudicar ninguém. “A greve não é só pontual, mas vai além da organização das universidades federais. Nosso salário está muito desvalorizado e a paralisação foi a única forma de lutar por isso”, afirmou.


Reivindicações


Reestruturação da carreira dos docentes
Incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios
Variação em 5% entre níveis
Implantação do piso de R$ 2.329,35 para 20 horas de trabalho, enquanto hoje é de R$ 557,19, e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho


*Fonte: Adufu

Comentários

19 respostas para “Primeiro dia de greve dos docentes da UFU tem baixa adesão”

  1. ainda bem q se tocaram os docentos e nem todos entraram em greve ate porque o salario dos mesmos sao altos e eles tem é mordomia na ufu coitado dos alunos a presidenta dilma tinha q demitir estes docentes por justa causa e mais outras classes de entidades q entrarem em greve como metro onibus bancarios etc

  2. Respondendo ao paulista folgado:

    Saiba quem em nossa pátria mineira quem dá as cartas no futebol são os times de nossa nave mãe – Belo Horizonte.

    A meia dúzia de falsos mineiros – forasteiros que estudam em nossa UFU – e uns gatos pingados de puxa-sacos dos times do eixo do mauuuu – Rio e São Paulo – podem espernear que não vão mudar a realidade – a maior torcida de futebol em nossa Uberlândia e região é da nação azul – Cruzeiro.

    Feito estes acertos, vamos ao que no momento nos interessa:

    Povo de Uberlândia não tem sentido esta famigerada greve.

    Qualquer funcionário da UFU tem salário de marajá. Eles ostentam riqueza, metideza, arrogância e outros “adjetivos” mais, quer saber eles se acham.

    A Sra Dilma acaba de conceder aumento salarial para todos os funcionários públicos federais. Eles estão querendo mais???

    O que acontece nessa UFU é uma afronta ao povo brasileiro sofrido e miserável os salários que essa gente já ganha. Eles tiveram aumento salarial agora mesmo pela Presidente Dilma, e, ainda querem mais??? Vamos ter de chamar a Cavalaria e o GATE da PM para dar jeito neles. Depois não venham dizer de que não avisei!!! Minha gente eles estão querendo assaltar os cofres da União. Deixam não!!!

    Minha gente: a UFU não cumpri suas obrigações firmadas em contrato com terceiros, mas bajula seus funcionários com generosos e polpudos salários. Ô estou mentindo.

    Sugiro ao nobre RMP da União que faça uma investigação da evolução patrimonial dos funcionários da UFU, de todos, do mais humilde ao Reitor.

    Façam este pente fino e depois vamos conversar, ta!!! Investiguem, também, os laranjas – familiares.

    Sugiro, também, que investiguem as chácaras que margeiam as represas da região, pois, comenta-se que aproximadamente 1/3 delas pertencem a essa gente, ou de laranjas, ligados aos mesmos.

    A propósito e aproveitando a oportunidade quero aqui, como cidadão mineiro 100% desta terra, cobrar, mais uma vez, do Sr Reitor da UFU – Sr Alfredo -, ele sabe disso perfeitamente, pois fora cobrado, pessoalmente, em uma audiência na Câmara Municipal de Uberlândia, por vereadores, a construção do ginásio coberto poliesportivo que a UFU deve para o 17º BPM desde o ano de 1985.
    Deve sim. Sim senhor!!!
    Pois, no ano de 1985 foi feita uma permuta de terrenos entre a UFU e a PMMG/17º BPM na cidade de Uberlândia.
    Os terrenos permutados são aqueles onde hoje estão, respectivamente, o prédio da Reitoria – que era da PMMG e era destinado para construção do 17º BPM – e aquele onde hoje está a sediado o 17º BPM, cujo terreno era um brejo e era a Campus da UFU.
    Logo, resta claro que a PMMG/17º BPM ficou em total desvantagem/prejuízo sem qualquer laivo de dúvidas.
    Nessa permuta, que fora imposta por políticos desta cidade e do governo do Estado de Minas Gerais, daquela época, ficou consignado em Contrato de Permuta e registrado em Cartório de Belo Horizonte, cuja cópia se encontra arquivado no Almoxarifado do 17º BPM, onde a UFU se compromete formalmente em construir o tal ginásio.
    Porém até o momento, passados mais 27 (vinte e sete) anos a UFU e seus dirigentes vem empurrando coma barriga a construção do citado ginásio e assim não cumprir aquilo que fora avençado entre as partes.
    O que é estranho em tudo isso é o silêncio e a inércia das autoridades do Estado de Minas Gerais que tem o dever de ofício de fazer valer o que fora pactuado em tal contrato, posto que se trata de interesse público. A sua não concretização se torna lesivo ao erário público.
    Falta de recurso financeiro certamente não é. Pois, obras e mais obras estão em pleno andamento e são vistas em todos os Campus da dita Universidade, inclusive em algumas cidades da região.
    Coma palavra os senhores representantes do MP do Estado de Minas Gerais, Advocacia Geral do Estado e Presidente do TCE.

    Também não podemos de expressar nossa indignação pelas as arrogâncias expressadas pelos seus dirigentes, professores, funcionários e outros, que querem, agora que UFU que é nossa, seja uma cidade dentro de Uberlândia, sob o manto da famigerada autonomia. É um absurdo. Acorda povo de Uberlândia. Criaram até uma prefeitura lá dentro. Durma com um barulho desse.
    Essa gente da UFU se acham de “1ª categoria”, mas educação no trânsito que é bom não tem. Mas não tem mesmo. Principalmente as mulheres.
    UFU em vez dar mais aumento de salário para essa gente sua, pois, a Sra Dilma já o fez, na data de ontem, pague o que deve a PMMG/17º BPM. Construa logo o ginásio coberto no 17º BPM. A terraplenagem do local já está pronto desde a inauguração do citado batalhão.

    Só lembrando de que o contrato firmado em 1985 não permite qualquer outro arranjo político para burlar a construção do dito ginásio. Apenas alertando os menos avisados. Pois, estamos de olho, 24 horas por dia. Não subestimem as pessoas. Ninguém é bobo. Lembrem-se disso.
    Aumento de salário pra quê???
    Essa gente, além dos altos salários (de marajás), arrumam uma maneira de engordar os contra-cheques com plantões e outros penduricalhos. Estamos de olho!!!
    Ou estou mentindo???
    E não é pouca coisa, não!!!
    A propósito sugiro aos senhores representantes do MP Federal que façam uma investigação nas escalas de plantões, nos contra-cheques dos médicos, das enfermeiras padrão e técnicas, técnicos administrativos e professores. Não tenho dúvidas de que terão surpresas desagradáveis. Isto se não tiverem, também, no mesmo time de marajás dos cofres públicos da União.
    Pois, hoje, lamentavelmente, não se pode confiar em mais ninguém.
    Por fim, sugiro, também, que investiguem a evolução patrimonial dos funcionários da UFU.
    Sugiro, também, que investiguem as festas, regadas a bebidas alcoólicas e outras cozitas mais, realizadas no interior da UFU, que é um patrimônio publico, pertencente a todos nós. Ou estou mentindo???
    POVO DE UBERLÂNDIA ABRAM BEM OS OLHOS.
    ESTÁ UFU ESTÁ A SERVIÇO DA BURGUESIA. Ou estou mentindo.
    Quem lá estuda, a nossas custas e se formam, deveriam depois trabalhar meio período diário nos órgãos públicos: como hospitais, obras, escolas, quartéis e outros, de graça por 05 (cinco) anos consecutivos.
    Isto seria o mínimo que esses ingratos e sanguessugas poderiam contribuir para a sociedade. Ou estou mentido???

  3. Demite e ai vai ter aula com o pessoal da limpeza, da vigilância.

    Só falta dizer “contrata outros”, tadinho procure no mercado para ver se exsite, além disso dê uma olhada no curriluco veja a diferença no currículo deles e do seue então verá que eles ganham mal e vc bem.

  4. Eu não entendo, você queria que um professor com Doutorado, que forma profissionais de alto nível, que serão os responsáveis por alavancar o crescimento da nossa nação ganhasse um salário mínimo? O dia que isso acontecer, não terá professor, claro que irão para o mercado de trabalho, já que eles formam os profissionais e são mais qualificados que aqueles que eles formam. Pensa um pouco antes de falar, ou se paga bem para eles, ou não os terão. Sabe o motivo? eles possuem qualificação, coisa que a maioria aqui nunca terá.

  5. Esses cursos da UFU e os de doutorados que existem por aí, é daqueles onde nada se cria e tudo se copia.

    É tudo a mesma coisa. Inovação que é bom, necas.

    Essa turma pode até ter um canudo de curso superior mas não tem educação, máxime no trânsito.

    Queres uma prova do que estou aqui escrevendo. Se posicione, de manhã, por volta das 07:00horas às 08:00horas, no cruzamento da rua Joaquim Cordeico com avendida João Naves e terás a provas.

    Essa turma tá pegando o boi de te um emprego no serviço público federal.

    tão chorando de barriga cheia.

    Não está satisfeito, procura outro serviço, ô mauricinho/patricinhas.

    Turma de recalcados.

    Voces não estão com nada.

    Continuam se achando, tá!!!

  6. Boa sugestão!!!

    Sra Dilma, passa a vassoura nessa gente e contrata outros.

    O mercado tá cheio de bons profissionais esperando por uma oportunidade. Principalmente no seio da caserna militar (PM e FA).

  7. ô cara voce ainda não sacou!!!

    O Brasil precisa mesmo é de técnico para por a mão na massa.

    De cacique já está cheio!!!

    Ainda mais de mauricinhos e patricinhas.

    Esse doutorado dessa gente não serve para nada. Esse pessoal não sabe nem mesmo para eles!!! Como então vão transmitir para os alunos???

    Essa gente tá pegando o boi de ter um salário de R$11.000,00.

    Aproveita a oportunidade e veja no retrovisor quanta gente sobrevive com de 1/4 de valor.

    Vai te catar, ô mauricinho!!!

  8. Não acho que o salário de professor está tão ruim. Um professor de universidade federal, com a titulação mínima, que é o doutorado, deve estar recebendo pelo menos 8 mil reais líquidos.

    Evidentemente, um professor minimamente competente pode receber também bolsa de produtividade (+ 1000 reais), dinheiro de projetos (dos quais a UFU permite que o professor guarde pelo menos 60% para si), direitos autorais e de tradução (o professor pode ficar com o total), consultorias, etc. Então, um professor recebe pelo menos 12 mil reais.

    Nas ciências humanas, esse valor tende a ser mais alto do que nas engenharias, visto que o professor não precisa pagar os 60% que os engenheiros devem recolher. Em suma, um professor de letras que traduza um livro ou manual do chinês para o português, pode ficar com todo o valor do trabalho, que é da ordem de 20 mil reais.

    Professor de medicina também tem vários acréscimos.

    Claro que um professor sem titulação, sem bolsa de produtividade, sem publicações e sem trabalhos comunitários ganha menos. Mas esses professores devem ter despesas mínimas, visto que não precisam de assinar revistas, ou viajar, comprar computadores, participar de encontros para treinar línguas como latim, etc.

  9. Seu português é bem distante da norma culta. Em todo caso, como você mesmo disse, poucos professores entraram em greve. Então, onde está a justa causa? Não entrei em greve e não admito que toquem no meu salário. Ganho pouco mais de 10000 reais líquidos e estou satisfeito. Tenho também bolsa de produtividade e alguns direitos autorais. Acho que 10000+ líquidos é um bom salário.

  10. Cara, acorda! Em que mundo você vive?
    Greve é um direito e está previsto na lei.
    Em vez de ficar falando merda de algo que você nem entende, faz um favor: coloque toda essa sua arrogância e este seu despropósito em um lugar de verdade: vá falar mal do aumento salarial de um deputado ou senador que custa para os cofres públicos cerca de 10 milhões de reais.
    Poucos professores da UFU ganham esse salário que o PT colocou na cabeça de povo idiota feito tu. A maioria ganha menos de R$6000. E isto, para mim, é um salário pequeno. Se um parlamentar custa R$10 milhões por ano e nem tem um curso superior; um doutor deveria ganhar mais, não acha?
    Acordem pessoal! Em vez de falar mal da greve da UFU, falem mal dos parlamentares que ganham mil ou mais vezes do que vocês!

    E para os meus nobres colegas que gostam de falar mal dos cursos de Humanas (eu faço Exatas) dizendo que as Humanas são tudo à toa e gostam de greve. O pessoal das Humanas recebe menos recursos do que o curso de Exatas. Não porque sejam piores que as Exatas, mas porque o governo gosta de pessoas com a mente tapada, feito a galera das Exatas. Gente das Humanas reivindica, corre atrás e as Exatas fecham seus olhos para assuntos sociais.

  11. Ana, por enquanto tudo normal em relação ao vestibular.
    O vestibular será realizado nos dias que já foram publicados em edital.
    Agora, o que pode mudar é a data de matrícula e a data das chamadas sucessivas.
    Qualquer coisa, apareça lá no Bloco 1A do campus Santa Mônica para maiores informações.
    Fique tranquila. Dia 2 e 3 tem primeira fase sim. Boa sorte!

Deixe uma resposta


6 − quatro =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.