Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Renegociações de dívidas aumentam 30% em novembro

Índice de dívidas renegociadas entre outubro e novembro é 7,5% maior que igual período de 2010

A quantidade de consumidores inadimplentes à procura de renegociar dívidas no balcão do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) aumentou 30% em novembro. A busca pela recuperação do crédito no comércio para realizar as compras de Natal e o recebimento do 13º salário são as principais justificativas para este crescimento, que é mais constatado nas datas comemorativas, com mais intensidade na época natalina.

Entre outubro e novembro, o índice de dívidas renegociadas é 7,5% maior do que no mesmo período do ano passado, de acordo com a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Uberlândia.

Para os especialistas, o período é ideal para a quitação das dívidas, já que, com dinheiro na mão, fica mais fácil conseguir descontos para pagamentos à vista, e as empresas ainda estão mais dispostas a negociar. “Quanto mais consumidores em condições de realizar compras, melhor para as empresas, que estão em busca de vender mais”, afirmou Lécia Queiroz, gerente executiva da CDL.

Hoje, o balcão do SPC chega a receber cerca de 400 pessoas diariamente. Para a renegociação da dívida, basta apresentar documentos pessoais e o comprovante de residência para ter acesso à situação cadastral. Caso o credor seja uma das cerca de 3 mil empresas que têm parceria com a CDL, a dívida pode ser renegociada no local. “Neste caso, negociamos em nome das empresas e tudo se transforma em uma dívida única”, afirmou Lécia Queiroz.

Após a renegociação da dívida, o nome é retirado do SPC em até 72 horas. Segundo a presidente da Comissão dos Direitos do Consumidor da OAB, Ana Maria Alves Cabral, é importante que os consumidores se informem dos seus direitos antes de tomar qualquer providência. “Isso é fundamental para realizarem uma renegociação justa para que consigam se livrar da dívida de uma vez”, disse.

Dívidas reduziram após renegociação

Eugênio Carlos vai quitar dívidas com o recebimento do 13º

O motorista Eugênio Carlos Diniz, 43, acumulou, nos últimos sete anos, cerca de R$ 20 mil em dívidas. Segundo ele, desde o ano passado, quando conseguiu equilibrar a vida financeira, está em busca de liquidar as dívidas e vai aproveitar o 13º salário para quitar algumas pendências. “Vou quitar uma dívida de R$ 500 por R$ 300 já que vou pagar à vista. Além disso, as dívidas de R$ 15 mil que tinha com bancos se transformaram em R$ 1,5 mil após renegociação”, afirmou.

De acordo com Ana Maria Alves Cabral, presidente da Comissão dos Direitos do Consumidor da OAB, em alguns casos, dependendo da negociação, o consumidor consegue além da isenção de juros e multas, descontos de até 30% em cima da dívida principal.

O superintendente do Procon, Franco Cristiano Alves, no entanto, faz um alerta para que a situação não se repita. “A partir do momento em que a pessoa está com o nome limpo é preciso começar a adotar hábitos de consumo conscientes para não se endividar outra vez”, disse.

Procon tem programas específicos

Para os consumidores que buscam renegociar as dívidas com credores e “limpar” o nome nos serviços de restrição ao crédito, o Procon possui programas voltados para o atendimento de inadimplentes. Os serviços atendem tanto as pessoas que possuem dívidas mais simples de serem sanadas quanto aos superendividados. “Analisamos caso por caso e ajudamos na negociação realizando audiências com as empresas. Com presença do Procon, o consumidor fica mais fortalecido e pode conseguir um melhor acordo”, disse Franco Cristiano.

A Serasa, empresa de proteção ao crédito, realiza desde setembro uma campanha nacional de recuperação e concessão de crédito para o Natal. Até outubro, 1,8 milhão de consumidores foram atendidos no país. “Baseado nas informações que temos sobre as operações comerciais de cada consumidor, as empresas conseguem propor renegociações que atendem às necessidades da pessoa e o porcentual de quitação da dívida aumenta”, afirmou Carlos Henrique de Almeida, assessor

Renegociação de dívidas

- Procure renegociar dívidas para pagamento à vista, assim a possibilidade de conseguir isenção de multas, juros e desconto é maior

- Procure ajuda dos órgãos de defesa do consumidor (Procon ou Ministério Público)
- Fique atento aos juros abusivos
- Só feche o acordo caso a negociação se encaixe no orçamento doméstico mensal
- Após a renegociação, peça para que as condições acordadas sejam colocadas no papel e sejam devidamente assinadas pelas partes

Balcão SPC
Sede na CDL Uberlândia
Av. Belo Horizonte, 1.290 – Osvaldo Rezende
Tel. 3239-3400

Comentários

Deixe uma resposta


1 + = quatro

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.