Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Seguro obrigatório para motocicletas fica 2,6% mais caro a partir de 2013

O seguro obrigatório pode ser resgatado por vítimas de acidentes de trânsito e suas famílias em casos de morte ou invalidez e para cobrir despesas médicas

O seguro obrigatório de veículos (Dpvat) de motos ficará 2,6% mais caro em 2013. Por outro lado o valor para carros se manterá estável. Os valores foram determinados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) e a resolução foi publicada no Diário Oficial da União de ontem (24) e entra em vigor a partir do dia 1º de janeiro.

Os donos de motocicletas terão que desembolsar R$ 286,75 pelo seguro no ano que vem. Em 2012, o valor cobrado foi de R$ 279,27, o que representa uma diferença de R$ 7,48. O valor reajustado vigorava desde 2011, quando houve um salto de cerca de R$ 25 do Dpvat para esse tipo de veículo. Os valores para motos são os mais altos entre os automotores tarifados.

Entre os carros de passeio, o reajuste do Dpvat é praticamente nulo, de R$ 0,06, passando para R$ 101,16. O mesmo valor cobrado para táxis e carros de aluguel. Para caminhonetes e caminhões o valor a ser pago é de R$ 105,81. Ônibus e micro-ônibus passarão a pagar R$ 390,84 pelo Dpvat.

O seguro obrigatório pode ser resgatado por vítimas de acidentes de trânsito e suas famílias em casos de morte ou invalidez e para cobrir despesas médicas.

De acordo com a resolução da Susep, será cobrado R$ 4,15 para cobrir custos de emissão e de cobrança da apólice ou do bilhete do Seguro Dpvat, no caso de pagamento único. Se o proprietário preferir parcelar o pagamento em três vezes, o valor da emissão do título será de R$ 9,63, divididos em três parcelas de R$ 3,21.

O parcelamento do Dpvat para qualquer tipo de veículo é inédito em Minas Gerais e os vencimentos serão na mesma data do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2013.

Comentários

17 respostas para “Seguro obrigatório para motocicletas fica 2,6% mais caro a partir de 2013”

  1. Isso e uma VERGONHA !!! Kd os deputados que foram eleitos atraves do nosso voto, assitem a tudo isso e não fazem nada para ajudar o cidadão de Uberlandia e de Minas…Para onde vai esse $$$ todo, quando a gente precisa desse DPVAT e uma burrocracia do inferno e somos obrigados a pagar (compulsorio)…Kd os PRADO que abaixa a conta de luz, nao sei oque mais, asfalata s BR’S…abaixem o IPVA e esse seguro em MInas que esta UMA VERGONHA..

  2. O Estado fez uma graça pro povo porque eles percebem que nas próximas eleições estaduais se brincarem conosco vão “cair do cavalo”. Não aguentamos pagar mais impostos pra sustentar esse sistema de injustiças, corrupção e mazelas provocadas pela alienação plítica dos cidadãos, os “bobos da corte”.

  3. Não tenho mais motocicleta e nem pretendo ter, mas tive por anos.

    É interessante o motociclista ser o mais onerado. O seguro obrigatório sempre foi o mais caro de todos, quase o dobro do que o de carros. Pelo que entendi subtende-se que um motociclista acidentado dá mais “prejuízo” do que o acidentado de carro. E interessante é que em um acidente nunca levam o motociclista para um hospital particular, ainda que seja um simples esfoladinho, ele sempre vai pro público, se sujeitar às pessimas condições, embora o DPVAT (seguro obrigatório) garanta uma cobertura de cerca de R$ 2.000,00 para despesas médicas (para que serve esse DPVAT se ningúem acaba usando e nem sabe como usar? diga-se máfia do dpvat).

    Motociclista é designado como estorvo do trânsito, mas tem, ou pelo menos deveria, ter o mesmo direito, pois paga igual e até mais que um carro. Deveria ser respeitado como um carro e deveria ter seu espaço como um carro. Sim, temos muitos motociclistas que, assim como os motoristas de carros, não respeitam as leis e dirigem como loucos, mas temos, assim como os motoristas de carros, muitos que dirigem com respeito e cuidado.

    Não vou falar em motoristas de caminhão, porque deles já tive os piores dessabores, já basta o de carros.

    A questão é muito simples, a sociedade marginaliza os motociclistas e o Estado avaliza sobretaxando e onerando ele mais do que os outros.

    Brasil, Terra de Alice!

  4. o dia de eleição é ô Dia de protesto, nesse dia o cidadão tem o poder na mão, se o brasileiro souber utiliza lo com sabedoria, o politico iria respeita lo nas assembleias estaduais e no congresso nacional, no dia da eleição não aceita vota no menos pior, vote nulo,vamos fazer um protesto contra os politicos, vamos assinar presença no pleito e todo o país vota nulo, dai o politico vai ter de refletir sobre sua atitude para com o povo.

  5. isso é um roubo!!! sem falar na burocracia que é ao querer receber esse dinheiro de volta em caso de acidente, essa operadora inventa mil desculpas para não pagar, agora me fala, para onde vai tanta grana?

  6. Que tal criar um incentivo para os condutores de moto que não tenham se envolvido em acidentes de trânsito e nem sofrido multas nos últimos 5 anos? Hoje, o valor cobrado de seguro obrigatório equivale a um percentual muito significativo do valor da maioria das motocicletas, que muitas das vezes, são utilizadas como o único meio de transporte, devido ao baixo valor do bem e também, pelo reduzido consumo de combustível. Chega de penalizar todos, se existem infratores, responsáveis por acidentes, estes devem ser os maiores responsabilizados.

  7. gente como um trabalhador que ganha um salario minino pode pagar agua,energia aluguel,supermercado,materias escolares e sonhar em ter uma motinha ou um carrinho simples, se ele conseguir como vai pagar os documentos? so se roubar ou traficar ou virar politicos!!!!!!!

  8. DEVERIA SER ASSIM, JÁ QUE SOMOS OBRIGADOS A PAGAR DPVAT, O GOVERNO DEVERIA DEVOLVER O QUE PAGAMOS QUANDO NAO FOSSEMOS MAIS TER MOTO.
    DONIZETTI

  9. Infelizmente o Brasil virou piada… não temos o retorno sobre o dinheiro pago no IPVA e DPVAT e estamos sendo sobretaxados novamente com a cobrança do Licenciamento… se o IPVA é o imposto de propriedade do veiculo automotor, subentente que uma vez pago, o mesmo deveria ser considerado licenciado.

  10. Seguro pra moto tem que ser mais caro mesmo, e eu acho que o reajuste não foi abusivo. Veículo mais barato, perigoso, que se multiplica a cada dia juntamente com os acidentes envolvendo motociclistas, muitas vezes por imprudência deles mesmos. Fala sério, ainda tem uns que vem aqui reclamar do valor do seguro (e o aumento do nº de indenizações que a seguradora paga e os gastos do SUS, isso vocês são veem não né). Se não tem condição de manter um veículo que nem tenha uai.
    http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/acidentes-de-motos-causam-1655-mil-indenizacoes/

  11. Essa cambada vive procurando “Soluções” para melhorar o transito das cidades, acabar com os engarrafamentos, Zona Azul pra estacionamento, mudar mãos de ruas, fazer corredores de ônibus, emm alguns lugares como SãoPaulo fazem até Rodízio de carros. MAS o que essa cambada não percebe é que a solução pra melhorar o trânsito está nas motocicletas. Vemos todos os dias vários carros pelas ruas e apenas o motorista nele. Motocicletas seria pra essas pessoas e para as cidades o meiode transporte mais econômico, menos poluentes, mais rápido e ocuparia ainda muito menos espaços do que essa grande frota de carros nas cidades. Infelizmente isso não acontece porque nossos governantes não tem interesse de apoiar essa idéia barateando impostos e custos de Motos aos cidadãos. Eu tenho moto e tenho carro, e sei que não é o veículo que faz a diferença em questão de educação no trânsito e sim o carater da pessoa que está dirigindo qualquer um dos veículos….

  12. vc nao deve ser realista e sim petista vai te catar cara , vivemos num pais de mazelas e vc me vem dizer q quem nao pode pagar ipva nao teveria ter carro , se vc nao sabe no estados unidos nao tem ipva e so pago uma licença , com certeza vc e um dos petistas .

Deixe uma resposta


2 − um =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.