Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Setores do comércio lucram com altas temperaturas

As sorveterias estão entre os que mais lucram nos dias quentes

As altas temperaturas das últimas semanas têm sido boas para alguns setores do comércio. Segmentos como o de alimentação, eletro e roupas de banho comemoram aumento de até 50% nas vendas em relação a meses de temperaturas baixas.

Na distribuidora de bebidas de César de Paula Silva, as vendas aumentaram 20%. Segundo ele, é comum que nessa época do ano haja mais procura. “O calor, os feriados e as folgas incentivam o consumo de bebidas”, afirmou.

O consumo de sorvete também é bem maior em tempos de altas temperaturas. Uma franquia que comercializa o produto em Uberlândia vendeu 30% mais durante o mês de fevereiro, em comparação aos meses de novembro e dezembro. Para aproveitar o bom momento, o empresário Josué Naves ampliou o espaço de uma das lojas. “Passaremos a oferecer mais produtos gelados”, afirmou.

Nos últimos dias, ventiladores e aparelhos de ar-condicionado se tornaram peças-chave na loja de eletrodomésticos gerenciada por Fábio Valdisser. “Deixamos os produtos em destaque”, disse. Dessa forma, a comercialização deles aumentou, pelo menos, 20% desde janeiro.

O segmento de vestuário também lucrou com o calor. Simone Pereira Marques, proprietária de uma loja de roupas de banho, vendeu nos primeiros meses deste ano boa parte do seu estoque. “Vendemos 50% a mais em relação a outros meses. Se as vendas continuassem no mesmo ritmo, eu não saberia o que fazer, pois não teria mais produtos”, afirmou.

De acordo com a previsão do tempo, em Uberlândia, as temperaturas continuam altas, pelo menos, até a segunda semana de março.

Lojas afirmam que valor não sobe

Os estabelecimentos entrevistados pela reportagem do CORREIO de Uberlândia informaram que os preços não foram elevados devido ao aumento na procura de produtos por conta do calor.

Segundo Fábio Valdisser, gerente de uma loja de eletrodomésticos, na unidade em que ele trabalha alguns produtos chegaram a ter descontos de até 20% para que os preços fossem competitivos com os da concorrência. Procurando por bons valores em ventiladores, a dona de casa Patrícia Castro Sampaio já havia passado por duas lojas quando foi entrevistada. “Achei ventiladores de R$ 50 e outros por mais de R$ 159”, disse.

Comentários

Deixe uma resposta


− 1 = oito

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.