Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Trechos urbanos seguem sem radares

Reativação foi anunciada há dois meses

Passados quase dois meses desde que o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram vistorias para verificar a segurança das estradas federais que cortam Uberlândia, os trechos urbanos das BRs 050, 365 e 452 continuam sem radares fixos de velocidade em operação. Estavam previstas as instalações em nove pontos diferentes do perímetro urbano de 18 redutores eletrônicos e segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (Dnit), estes aparelhos começarão a funcionar no próximo mês.

A instalação dos radares foi um dos pontos levantados pela PRF para a melhoria das estradas que cortam Uberlândia. Além dos redutores de velocidade, de acordo com a PRF, também seria necessário melhorar a sinalização de alguns trechos da BR-452 e aperfeiçoar o sistema de escoamento de água em partes da BR-050, dentre outras medidas. Na ocasião, o procurador da República Cléber Eustáquio Neves havia estipulado um prazo de 15 dias para que o Dnit realizasse as intervenções de segurança em áreas consideradas mais críticas, como o trecho da BR-050 próximo ao bairro Santa Mônica, na zona leste da cidade. No local, foi instalado um quebra-molas.

Após a vistoria, o Dnit informou que iria reativar 12 redutores eletrônicos que já existiam nas estradas, em seis pontos – nos dois sentidos das rodovias -, e que estavam inativos desde 2007. Além disso, foi anunciada a instalação de seis novos aparelhos, em três locais diversos, totalizando os 18 radares em nove pontos. Segundo o superintendente do Dnit, Elias João Barbosa, a empresa responsável pela operacionalização dos redutores pediu um prazo de 60 dias para as instalações. “Nenhuma das estruturas já existentes serão utilizadas. Todos os aparelhos serão novos”, afirmou.

Procurador não entrará com ação contra o Dnit

O procurador da República Cléber Eustáquio Neves afirmou que não vai entrar com ação punitiva contra o Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (Dnit) em razão dos 18 radares do perímetro urbano de Uberlândia ainda não estarem em operação. Isso porque, segundo ele, o Dnit já realizou intervenções de segurança em áreas consideradas mais críticas, como o trecho da BR-050 próximo ao bairro Santa Mônica, na zona leste da cidade. “Foram colocados quebra-molas em alguns locais onde serão instalados radares futuramente. Isto já ajudaria a resolver a situação enquanto os aparelhos não operam”, disse Cléber Eustáquio Neves.

De acordo com o superintendente do Dnit, Elias João Barbosa, já foram cumpridas 60% das exigências feitas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) após a vistoria no perímetro urbano. Entre as demandas já atendidas estão as melhorias de sinalização da BR-492. “Os outros serviços dependem de aprovação de projetos e da disponibilidade de orçamento”, afirmou.

Exigência da vistoria

BR-050
Próximo ao Ceasa: instalação de radar [Um quebra-molas foi instalado enquanto o aparelho não opera]

Próximo ao Makro: Melhoria do escoamento e instalação do radar [Aguardando empresa]

BR-452
Melhoria na sinalização [Concluído]

BR-365
Reinstalação de radares na ponte do Vau e na entrada do bairro Taiaman [aguardando a empresa]

Comentários

Uma resposta para “Trechos urbanos seguem sem radares”

Deixe uma resposta


oito − 3 =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.