Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Uberlandense é preso em operação de rede internacional de pedofilia

Delegado da PF, Emerson Aquino, disse que suspeito preso em Uberlândia trocava arquivos pela internet

A Polícia Federal prendeu um jovem de 21 anos e apreendeu computadores na manhã desta quinta-feira (28) no bairro Pampulha, zona sul de Uberlândia. A polícia uberlandense cumpriu mandado de busca e apreensão durante a operação nacional contra uma rede de pornografia infantil. No País, até às 13h, 18 pessoas foram presas.

De acordo com o delegado Emerson Aquino o suspeito preso em Uberlândia trocava arquivos por meio da internet com outras pessoas que estão sendo investigadas. O rapaz foi levado para o presídio Jacy de Assis, onde permanece à disposição da Justiça. “Ele vai responder a inquérito aqui em Uberlândia”, disse o delegado Emerson Aquino.

O material apreendido – três notebooks, três HDs e sete pendrives – será periciado para levantar que tipo de material estava sendo armazenado. O delegado não acredita que nos computadores tenham imagens de crianças de Uberlândia. “O material será periciado e somente a perícia irá detalhar o conteúdo”, afirmou Emerson Aquino.

Em todo o país foram expedidos 15 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, do Espírito Santo, da Bahia, do Ceará, de Pernambuco, do Maranhão, do Rio Grande do Norte e no Distrito Federal.

Segundo a Polícia Federal, o grupo trocava material pornográfico, envolvendo crianças e adolescentes, entre si e com usuários da internet de mais 34 países da Europa, América Latina, Ásia e Oceania. A rede de compartilhamento de arquivos digitais estava sendo monitorada há seis meses pelos policiais.

Um comunicado foi feito à Interpol (a rede internacional de polícias) para que seja dado prosseguimento às investigações no exterior. Também são investigados outros crimes que teriam sido praticados pelos envolvidos, como estupros, sequestros, assassinatos e atos de canibalismo.

A operação “DirtyNet” de combate à pedofilia é comandada pela Superintendência da Polícia Federal do Rio Grande do Sul. Segundo o comando gaúcho da ação, a operação “DirtyNet” surgiu a partir de uma ação anterior, a “Caverna do Dragão”, em que se descobriu que um dos investigados fazia parte de uma rede com 160 integrantes. Destes, 97 eram do exterior e 63 do Brasil. Essa rede, segundo ela, era fechada para a participação de internautas convidados, mediante aprovação. As fotos não eram vendidas, mas trocadas entre os usuários. Todas as imagens eram de crianças até 12 anos.

Minas Gerais

Ainda durante a operação, mais três prisões foram realizadas em Minas Gerais. Em Uberaba, duas pessoas foram presas. Os homens, um de 26 e outro de 30 anos, são suspeitos de promover crime de pedofilia na internet. Em Varginha, uma pessoa foi presa.

Comentários

2 respostas para “Uberlandense é preso em operação de rede internacional de pedofilia”

Deixe uma resposta


4 + = cinco

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.