Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Uberlandense lança oito redes sociais na Internet

Maicon Santos desenvolveu oito redes sociais para atender aos mais diversos públicos

Você já imaginou participar de redes sociais voltadas para pessoas acima do peso, não cristãs ou até de outros segmentos específicos? O arquiteto de informação Maicon Santos, 29 anos, natural de Uberlândia, não apenas imaginou, como também viu na segmentação uma tendência, desenvolvendo oito redes sociais para atender aos mais diversos públicos.

As redes sociais criadas pelo uberlandense atendem às pessoas acima do peso (“Amor de Peso”), às com mais de 45 anos (“Amor de Idade”), às com personalidade e estilo (“Amor de Estilo”), às não cristãs (“Amor de Fé”), às com deficiência física, mental ou fisiológica (“Amor Normal”), às com DST ou câncer (“Amor Vital”), a atletas e esportistas (“Amor Vip”) e às pessoas com a mesma torcida (“Amor de Time”). Elas estão centralizadas no site “Amor na Medida” , uma agência de namoro virtual especializada em grupos de relacionamento com afinidades específicas.

De acordo com Maicon Santos, a ideia de criar as redes sociais surgiu como forma de fortificação e inclusão. “Todos nós somos especiais, porém existem grupos que são excluídos por não estarem dentro do que é considerado um padrão pela sociedade. Assim, ficam em casa, perdendo oportunidades de conhecerem alguém interessante para se relacionar e se divertir. Inicialmente as redes sociais específicas podem parecer uma forma de exclusão, porém eu as vejo como uma forma de fortificação, em que é possível reunir forças em busca de amigos e, quem sabe em breve, de direitos e benefícios. Se os grupos crescerem, terão mais espaço e força na sociedade. Tudo é uma questão de perspectiva. Minha perspectiva é social e grandiosa”, afirmou o uberlandense.

Maicon Santos atualmente trabalha sozinho nas redes, e, quando questionado sobre o tempo necessário para cuidar de cada uma delas, o arquiteto de informação disse à reportagem que o sistema possui uma certa inteligência que otimiza bastante o trabalho. “Hoje consigo cuidar de todas as redes, mas, em breve, vou precisar contratar alguém para me ajudar nas manutenções e melhorias. Como é normal em todo início de projeto, falta dinheiro e patrocinadores, mais aos poucos chegaremos lá”.

Para participar das redes sociais, os internautas devem acessar o site “Amor na Medida”, escolher o segmento e se cadastrar. “Inicialmente existem dois tipos de assinatura, a Grátis e a VIP. A assinatura gratuita possui acesso limitado às funcionalidades. Para fomentar o cadastro existe uma promoção de inauguração em que as mulheres ganham acesso VIP até o fim do ano. Esse acesso, fora da promoção, sai a partir de R$ 5 por mês. A idade mínima para participar das redes é 18 anos”, afirmou Maicon Santos.

O uberlandense levou dois meses para desenvolver as redes sociais. Com um mês de lançamento, já são mais de dois mil usuários cadastrados nos diversos segmentos oferecidos.

Planos futuros

"Amor na Medida" centraliza redes sociais do Uberlandense

O arquiteto de informação já tem novos planos para as redes sociais segmentadas. Em breve, segundo ele, serão disponibilizadas redes para os homossexuais, os funcionários públicos e os evangélicos.

Maicon Santos se considera um visionário e acredita que é possível mudar o mundo, mudando individualmente cada um as próprias atitudes. “Fala-se muito que no Brasil não existe preconceito, mas eu não acredito nisso. Ainda temos muito trabalho pela frente. Inicialmente pretendo aumentar a rede de relacionamento dos usuários com novos amigos e, quem sabe, até com novos amores. E, num futuro próximo, trabalhar com questões mais detalhadas como direitos sociais e reivindicações”.

Parcerias comerciais e descontos, por meio da compra coletiva específica, também estão nos planos do arquiteto de informação. Outra visão dele é não ficar apenas no ambiente da internet, abrindo portas também para o “mundo físico”. “Desejo criar eventos para reunir fisicamente os internautas dessas redes sociais. Podemos pensar em festas, jantares, viagens, shows e quem sabe cruzeiros marítimos”.

Redes sociais: centralizadas no site Amor na Medida

Amor de Peso – Para pessoas acima do peso (índice de massa corporal acima de 30).

Amor de Idade – Para pessoas com mais de 45 anos, charmosas, experientes e maduras.

Amor de Estilo – Para pessoas com muito estilo e personalidade. Fashion, emo, hardcore, punk, dark, hippie, estilosas e alternativas.

Amor de Fé – Para pessoas não cristãs, tais como: espiritas, umbandas, budistas, orientais, candomblés, judeus, esotéricas, espiritualistas.

Amor Normal – Para pessoas especiais, com deficiência física, mental ou fisiológica.

Amor Vital – Para pessoas com DST ou câncer.

Amor Vip – Para pessoas adeptas do fitness, atléticas e esportistas.

Amor de Time – Para pessoas com a mesma torcida.

Comentários

20 respostas para “Uberlandense lança oito redes sociais na Internet”

  1. Com a explosão das redes sociais há 8 anos atrás e os irrelevantes caindo um a um, não vejo como o isolamento dos grupos pode ser uma boa idéia. A principal atratividade das redes sociais é ter grandes quantidades de pessoas para conseguir gerar algum dinheiro, sem isso, o negócio não cresce.

  2. Pessoal da redação, a página da notícia está atualizando automaticamente, é muito chato estar lendo a notícia e o site atualizar a tela do nada, pior ainda quando está escrevendo um comentário, pois aí perde tudo que escreveu, favor dar uma olhada nisso aí.

  3. É,o negócio bom,como disseram,é ganhar dinheiro.Daí,para imitar o Facebook são leguas e leguas de distancia inatingivel,como gostam de dizer no Triangulo Mineiro.Calma,rapaz,não fique tão “Aparecido”.Vá devagar,ou o viés que voce segue,pode se “desviar”…

  4. Pra que criar esse tanto de rede, sendo que no facebook isso se reuni em um lugar só.

    Acho que hoje, não adianta criar novas redes sociais para tentar concorrer com Facebook, nem o Google Plus da Google está conseguindo concorrer imagina essas 8 redes ai, pode até ter membros mas não dura muito.

  5. O que pode manter isso aí vivo é a busca de sexo na net, fora isso dúvido que sobreviva. Assim, vai virar um ponto de encontro mais reservado, “as escondidas”. Alguém aposta o contrário?

  6. Quem foi que falou que ele quer imitar o facebook? O cara simplesmente quer atingir seu publico alvo e pronto. Ao invés de criticar vá lá, entre no site dele, arrume uma companhia e deixe de ser amargo!!! abç

  7. verdade, divisão de pessoas com determinado problema já existe só que informalmente, vide a tal rede social só de bonitos, etc… depois que o orkut caiu algo que segrege não tem muita chance não

  8. Se vai dar certo, só o tempo vai dizer. O que não podemos esquecer é que há + ou – 5 anos atrás quem comandava as redes sociais era o Orkut, e ai veio o Facebook (que começou do nada) e massacrou o orkut. Na internet, as atualizações são constantes e tudo acontece muito rápido. Quem não acompanha essa eviolução acaba ficando para trás. O que ele deve fazer é explorar ao máximo e fazer um marketing.
    Se não der certo, pelo menos ele tentou.

  9. Que lixos de “redes sociais”. Deveria ser uma só e se chamar: “Meu barato é ser politicamente correto”. Amor? Desde quando o amor é oportunista?

  10. Amigo, o orkut só fez sucesso no Brasil provavelmente pela reportagem do fantástico na época, no resto do mundo a briga era entre o facebook e myspace, você já deve imaginar quem ganhou a briga.

  11. PARABENS MAICON, AS PESSOAS CRITICAM SO POR NÃO TEREM TIDO CAPACIDADE NEM INTELIGENCIA SUFICIENTE , PARA MONTAR ESTE SITE ….PARABENS PELA INICIATIVA….

Deixe uma resposta


três + = 12

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.