menu
publicidade
publicidade

Cidade e Região

Vazio sanitário da soja em Minas Gerais começa na sexta-feira (1°)

Começa, na próxima sexta-feira (1º), o período do vazio sanitário da soja, que irá até 30 de setembro em Minas Gerais. Durante 90 dias, estará proibido o plantio deste grão em todo o Estado, exceto para as situações previstas na legislação e desde que autorizado pelo Comitê Estadual para Controle da Ferrugem Asiática da Soja, presidido pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O IMA prevê fiscalizar aproximadamente 700 propriedades rurais em todo o Estado durante o período de vigência do vazio sanitário. A medida tem o objetivo de prevenir e controlar a ferrugem asiática, praga causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi e que destrói a planta infectada.

Além da proibição de novos plantios, durante o vazio deverão ser exterminadas todas as plantas vivas remanescentes de safras anteriores, o que poderá ser feito com a utilização de produtos químicos ou outras formas de erradicação. O produtor que for notificado pelo IMA por manter a planta na sua lavoura e que não exterminá-la em prazo de 10 dias após a notificação estará sujeito a multa de 1,5 mil Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs), o equivalente a R$ 4.516,35.

Este será o décimo ano consecutivo em que o vazio sanitário da soja é realizado em Minas, desde que foi instituído em 2007. O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, engenheiro agrônomo Nataniel Diniz Nogueira, disse que, ao longo dos últimos nove anos, o IMA fiscalizou 4.530 propriedades rurais com plantações do grão em todo o Estado. Do total fiscalizado, o Instituto realizou 715 notificações, casos onde foi constatada a presença da planta na propriedade. Destes, 41 produtores receberam autos de infração, que são os casos em que o agricultor, após ser notificado, não erradicou a planta no prazo de 10 dias.

Comentários

Deixe uma resposta

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.