menu
publicidade
publicidade

Colunas

Literato

RSS
22/12/2016

Até breve

Mais de dois anos se passaram. Durante esse período, quinzenalmente, tive a honra de usufruir da companhia do leitor “Literato”, em um compartilhar literário, no movimento texto-leitura. Foi uma contrapartida, em que indiquei obras e…

08/12/2016

Será arte?

Neste dia 4 de dezembro de 2016, o mundo dormiu órfão de um filho da poesia. Ferreira Gullar, que tanto contribuiu na literatura, no teatro e outros. Esse escritor que nasceu José Ribamar Ferreira, e,…

24/11/2016

Alçando novos voos

Enquanto o “mundo” lamentava: “– Está tudo acabado”, Guilherme, na mais pura convicção de capacidade, anunciava: “Estou (re)começando. Obrigado, Senhor!”. Somente alguém com muita força de vontade poderia encontrar ânimo para viver, no momento em…

10/11/2016

Desigualdade

Ao ler “1942: o Brasil e sua guerra quase desconhecida”, de João Barone, baterista do Paralamas do Sucesso, deparei-me com o texto: “Ao voltar para os Estados Unidos, Jesse encarou a dura realidade da segregação…

27/10/2016

A fome

Segundo a ONU (2016), a produção mundial de alimentos pode suprir o pleito dos 7,3 bilhões de habitantes da Terra. Porém, quase 1 bilhão de pessoas sofre de subnutrição. 2016 é o Ano Internacional dos…

13/10/2016

As palavras

As palavras são a base de um ser. Por meio delas é possível avaliar caráter e educação de quem as profere. Elas podem construir e destruir mundos, igualmente. Ao ler “A pedagogia da indignação”, de…

29/09/2016

Eterno aprendiz

Neste mês, ao ler a obra “Uberlândia, na linha do tempo”, de Antônio Pereira da Silva – este paulista que fala “uai”, que pesquisa a mineiridade, que ensina sobre os italianos que vieram para as…

15/09/2016

O cliente

Que tipo de cliente é você? Compulsivo? Impaciente? Confuso? Ou outro? Não importa. Cada cliente é ímpar. Cada transação é única. Independente do estilo, o importante é nunca faltar com a cortesia, a sinceridade, o…

01/09/2016

Jogo de esperteza

Um estudante e um padre viajavam pelo sertão, tendo como bagageiro um caboclo. Deram-lhe numa casa um pequeno queijo de cabra. Não sabendo como dividi-lo […], o padre resolveu que todos dormissem e o queijo…

18/08/2016

Olhos de madeira

Ante o cenário social e político do nosso País, mídias e pessoas deixaram de observar que há um jardim pelo lado de fora da janela. Quando fui apresentada à obra “Olhos de madeira”, de Carlo Ginzburg…