menu
publicidade
publicidade

Ponto de Vista

Além da pauta, a despedida

Despedidas não são fáceis, mais ainda quando não falamos um até logo, mas um adeus. Será difícil não ver, não tocar, não sentir o cheiro do CORREIO de Uberlândia pelas manhãs. Lamentamos a perda como uma partida para sempre de alguém muito querido, mas é só um jornal, dirão alguns… Não, é um jornal que a gente acompanha e que ele nos acompanha também…

O CORREIO de Uberlândia anunciou o primeiro espetáculo do Grupontapé de Teatro, em 1994: “A Mulher sem Pecado” do Nelson Rodrigues. O segundo, o terceiro e o último… Todas, senão a maioria das nossas produções, de espetáculos de fora que recebemos na nossa sede e dos nossos alunos tiveram espaço no CORREIO.

Foi pelas páginas desse jornal que tivemos espaço para emitir nossas opiniões políticas e até nos envolvermos em algumas polêmicas. E não foi um privilégio só nosso, pois a grande maioria dos grupos e artistas locais também conquistou aí seu espaço.

Pelo caderno Revista se acompanha também a evolução do teatro em Uberlândia, a formação de grupos, a carreira de artistas e grande parte das atividades culturais desenvolvidas na cidade, revelando-se um ótimo instrumento de pesquisa.

Nossos primeiros contatos foram o Rogério Cunha, o Carlos Guimarães, o Hugueney Bisneto e, depois, vimos muitos jornalistas passarem por ali, alguns com uma paixão a mais pela cultura, caso da Núbia Mota e, mais recentemente, a Carolina Monteiro.

Mas queremos falar de nós, da nossa gratidão a essa entidade chamada CORREIO de Uberlândia que, por oito décadas, registrou diariamente os acontecimentos de nossa cidade e, por mais de duas décadas, esteve ao nosso lado, divulgando, registrando, fazendo a ponte com o nosso público.

Para muito além da pauta jornalística, tivemos também oportunidade de trabalho.  Foram convenções, SIPATs (aliás, estreamos espetáculo voltado à preservação da vida no galpão da gráfica) e outras várias ações institucionais.

Quando estivemos à frente da ATU (Associação de Teatro de Uberlândia), tivemos apoio do jornal que resolveu comemorar seu aniversário fazendo parceria conosco e, assim, a Mostra Nacional de Teatro Sesc/ATU teve um espaço de luxo garantido.

E quando, no 4º Seminário de Economia da Cultura, precisamos encontrar um nome isento e com credibilidade para mediar uma mesa com o Prefeito e o Secretário Estadual de Cultura, recorremos ao Cezar Honório que generosamente nos atendeu. O mesmo Cezar que, quando rodamos um filme que contava a história de uma jornalista, intermediou para que pudéssemos usar a redação como cenário e acabou cedendo sua própria sala para as gravações.

Momentos que ficaram gravados no nossa memória e, agora, percebemos que também nos nossos corações. Por tudo isso e muito mais, Obrigado, CORREIO de Uberlândia!

Kátia Bizinotto, Rubem dos Reis e Kátia Lourenço

Grupontapé de Teatro

Comentários

Deixe uma resposta

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.