Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Entretenimento

Exposição cria ambientes ficcionais

Douglas de Paula mostra imagens de túneis que provocam sensações de angústia

Ter a sensação de estar dentro da imagem projetada na parede, sentir o que ela transmite e ouvir os sons dos movimentos são algumas das 11 diferentes sensações que quem passar pela exposição “Espaços Outros” poderá ter. A mostra, que será inaugurada nesta quarta-feira (2) na galeria Ido Finotti e também na sala alternativa da Oficina Cultural, é a união do trabalho de 14 artistas, sendo cinco deles franceses, que une a arte à tecnologia e trabalha a ficção para dar acesso à realidade.

Graduado em Computação e mestre em Artes Plásticas, Douglas de Paula expõe “Claustro e Aero”. Segundo ele, as imagens de túneis em diferentes cores proporcionam ao público diferentes sensações e sentimentos, como medo, angústia e reflexão. “Fiz a oposição entre o aprisionamento e a liberdade e no caso dos espaços fechados, como mostram as imagens, a posição entre sufocamento e proteção. São projeções com sons para provocar o público”, disse.

Com o tema “Quem cala consente”, os artistas Gastão Frota e Carlos Paulino projetam na parede imagens do lado de fora da galeria e captam o som da rua. O título, segundo Gastão Frota, é uma provocação para que o público interprete de formas diferentes. O trabalho dos artistas foi desenvolvido com software livre, ou seja, com ferramentas abertas. “É um trabalho mais silencioso, mais lento e contemplativo. A imagem é a mesma do lado de fora, é como se tivesse um buraco na parede”, afirmou.

Em outra proposta diferente, o artista João Agreli representa a ideia indígena e shamã do uso da figura de animais, dispostos um sobre o outro, formando um poste como totens publicitários. Entre os totens, estão mensagens em QR Code, código que pode ser lido com o uso de telefones celulares.

O uso da tecnologia, segundo Douglas de Paula, ajuda os artistas a estabelecer ficções em um patamar mais elevado. “A tecnologia proporciona trabalhar de forma mais interativa. A ideia é fazer com que as pessoas se sintam dentro da imagem e reflitam sobre isso”, disse.

Vertentes

Além de expor o trabalho final dos artistas, a “Espaço Outros” terá jornada de estudos, que contará com palestras e apresentações dos trabalhos desenvolvidos pelos artistas. Segundo a coordenadora geral da jornada, Beatriz Rauscher, a proposta é que os expositores falem sobre os processos de construção e todas as questões que foram estudadas e levantadas para desenvolver os trabalhos.

Intercâmbio entre Uberlândia e França

Os artistas que participam da mostra “Espaços Outros”, segundo a coordenadora geral da jornada de estudos, Beatriz Rauscher, fazem parte do programa de intercâmbio entre o programa de pós graduação em Arte da Universidade Federal de Uberlândia, o grupo Fictions and interactions e a universidade francesa Université Paris 1 – Pantheón Sorbonne. “A exposição é o resultado da pesquisa feita. Aquilo que o público não vê quando assiste será apresentado na jornada”, disse.
O primeiro dia da jornada será 3 de maio e terá abertura às 14h. Nesse dia, finaliza-se a jornada às 19h com palestra do artista francês Bernard Guelton com o tema “Ficções e Interações”. O término será no dia 4 e a programação inclui mesa redonda e palestras. A jornada será realizada no auditório A do bloco 5-O.

Comentários

Deixe uma resposta


7 − cinco =

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.