Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Esportes

Filiado à FMK, atletas do karatê vivem bom momento em Uberlândia

Mesmo com dificuldades para conseguir patrocínios, comuns à maior parte dos esportes especializados no Brasil, os atletas do karatê, especificamente em Uberlândia, vivem uma situação melhor do que há algumas décadas. Atualmente, a cidade conta com aproximadamente 17 academias, todas filiadas e que respondem diretamente à Federação Mineira de Karatê (FMK) e cerca de 1 mil praticantes.

Uberlândia conta com 17 academias onde cerca de mil caratecas de diferentes idades treinam diariamente para competições (Foto: Marcos Ribeiro)

Segundo André Luis de Souza, professor do Esporte Clube Girassol e considerado na atualidade uma das principais bandeiras do karatê uberlandense, a situação do esporte na cidade melhorou muito. “Ainda encontramos muitas barreiras, mas, se comparado há 15 anos, por exemplo, vivemos um momento melhor, embora o karatê tenha perdido muito em popularidade”, disse.

André fala também sobre as mudanças no esporte, que antes nem sequer era praticado por crianças. “Hoje existem muitas crianças no karatê, pois é um esporte que educa. Outra questão importante é que existem equipamentos de proteção durante as lutas, sendo que antigamente era praticado de mãos livres”, disse o professor.

LUK

A Liga Uberlandense de Karatê (LUK) foi desativada há oito anos. Segundo Paulo César Simões, o Paulinho, que foi diretor e presidente da entidade na década de 90, o principal motivo para o fim da LUK foi a falta de pessoas dispostas a ficar à frente da entidade.

Ele também concorda que, na atualidade os caratecas ainda encontram melhores situações de treinamentos e competições. “Na minha época, tínhamos mais praticantes do que hoje, porém os atletas nem tinham lugar para ficar quando iam disputar competições fora. Hoje, já ficam em hotel. Mudou muito, apesar de praticamente não haver apoio financeiro”, disse Paulinho, que está afastado do karatê.

Carateca treina para competição internacional que acontece em novembro

Entre os vários caratecas uberlandenses campeões, o destaque atual fica para Luisa Rodrigues Fonseca, de 15 anos, atleta da Academia Takey, atual campeã brasileira na categoria 14/15 anos + de 54 kg – faixa roxa – e medalha de bronze no Pan-americano de Bogotá (Colômbia). Em novembro, ela vai para a Espanha, onde disputará, pela primeira vez, o Campeonato Mundial. Segundo ela, o fato de o karatê não ser um esporte olímpico torna-se um grande empecilho para os atletas. “Até na hora de pedir patrocínio, quando você fala que o karatê não é olímpico, dá para ver que as pessoas olham você de uma forma diferente. Acho que isso conta muito para a queda de popularidade do karatê em relação às outras artes marciais, como o judô”, disse Luisa.

Veja entrevista do professor de karatê do Esporte Clube Girassol André Luis de Souza.

[media id=1699 width=320 height=240]

Comentários

6 respostas para “Filiado à FMK, atletas do karatê vivem bom momento em Uberlândia”

  1. Vamos ser campeões Olimpicos e Mundial e todos vai ter orgulho de nós Kartecas de Uberlândia.Parabéns Sensei André pelo seu bélissimo esforço.
    Oss.

  2. Sensei André um apaixonado e um homem comprometido com alunos, com a prática desportiva e divulgação do Karate-do. Um exemplo a ser seguido e uma pessoa ímpar.

  3. Parabéns a matéria que pode deixar claro que existe políticos por traz desta classe.
    So assim perceberíamos que na reportagem tanto do Adriano Zago quanto acima mencionada condiz com realidade: existe publico, existe interesse existe vocação politica de um dizer e outro contradizer.

    Parabéns ao jornalista Eder Soares. Seria interessante seguir a ideia de visitar as 17 academias. Assim tiraríamos esclarecimentos.

    Sem mais

    Carlos Peixoto

Deixe uma resposta


− dois = 2

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.