menu
publicidade
publicidade

Esportes

Huracán intima Cruzeiro a pagar dívida por aquisição de Ábila

O Huracán, da Argentina, divulgou um comunicado oficial em seu site com uma “intimação” ao Cruzeiro para que realize o pagamento do que deve pela aquisição dos 50% dos direitos econômicos do centroavante Ramón Ábila, em negociação acertada em junho.

“O clube e com a assinatura do presidente (Alejandro) Nadur, intimou o Cruzeiro a transferir a segunda cota por 50% do passe de Wanchope Ábila”, anunciou o Huracán em seu site oficial, cobrando o pagamento de uma dívida estimada em US$ 1,5 milhão (aproximadamente R$ 4,9 milhões).

Esse montante deveria ter sido pago pelo Cruzeiro no início de dezembro. Mas como o time mineiro não realizou o repasse, o Huracán deu um prazo de dez dias, a partir da última quinta-feira, para receber o valor devido, ameaçando levar o caso para a Fifa ou forçá-lo a realizar a aquisição da integralidade dos direitos econômicos de Ábila.

Ramón Ábila, na Toca ll em BH (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Ramón Ábila, na Toca ll em BH, em julho de 2016 (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

“A partir dessa intimação, correm dez dias para que o clube cumpra com o acordado, caso contrário devem pagar a opção de compra total, o custo da opção e os juros correspondentes, sem prejuízo das sanções previstas no regulamento relativo ao estatuto e transferências de jogadores da Fifa”, concluiu o Huracán.

Em junho, o Cruzeiro fechou a contratação de Ábila por US$ 4,2 milhões (aproximadamente R$ 13,7 milhões), o que inclui 50% dos direitos econômicos do jogador e também o pagamento das taxas da transferência.

No Cruzeiro, Ábila marcou 12 gols em 28 partidas disputadas, mostrando rápida adaptação ao futebol brasileiro. Agora, porém, o seu futuro é incerto, com até um retorno ao Huracán por falta de pagamento não podendo ser descartado diante das ameaças do clube argentino e das cláusulas do seu contrato de aquisição.

Comentários

Deixe uma resposta

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.