Assine o CORREIO
menu
publicidade
publicidade

Veículos

Venda de importados genuínos cai 41,2% em outubro

Somente duas das 27 marcas associadas à Associação Brasileira das Empresas importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) obtiveram taxa de crescimento em seus dados de emplacamentos em outubro último, ante o mês de setembro. As importadoras filiadas à entidade encerraram outubro com 13.264 unidades emplacadas, 41,2% menos em relação a setembro, quando 22.569 veículos foram entregues aos consumidores finais.

Na comparação com o mês de outubro de 2010, quando foram emplacados 10.562 veículos, o total de 13.264 unidades ainda significa superávit de 25,6%. No acumulado de janeiro a outubro, as associadas à Abeiva chegaram a 165.114 unidades emplacadas, 98,3% mais em relação a igual período de 2010 [83.254 veículos].

Com os totais de emplacamentos em outubro e no acumulado de janeiro a outubro, as associadas da Abeiva passaram a representar 5,03% [contra 7,69% em setembro] e 5,92%, respectivamente, do mercado interno brasileiro.

“Obviamente o consumidor brasileiro se retraiu. No primeiro momento após o anúncio do decreto houve uma corrida às concessionárias de importadoras. Mas logo no início de outubro, o setor sentiu duro golpe. Embora estejamos satisfeitos com o Supremo Tribunal Federal, ao suspender a aplicabilidade imediata do Decreto 7.567, depois de 45 dias, as nossas associadas não tiveram tempo de se programar”, disse José Luiz Gandini, presidente da Abeiva.

Comentários

Uma resposta para “Venda de importados genuínos cai 41,2% em outubro”

  1. Enquanto o IPI de nosso país continuar o absurdo que está a opção sempre será obeter o paralelo ou o pirata!! FATO!!

    EX: Mês que vem vai lançar Diablo III pela Blizzard.
    Preços previstos no Exterior

    Euros $ 55,00, Dollar $ 79,90 agora aqui no nosso país ta previsto para R$ 299,90 AH PARA HO!! QUE PAIS É ESSE QUE COBRA 400% MÉDIA DO VALOR DE ORIGEM DO PRODUTO?

Deixe uma resposta


três + = 9

Ao enviar suas informações de registro, você indica que concorda com os Termos do serviço e leu e entendeu a Política de Privacidade do site do Correio de Uberlândia. Só serão liberados comentários cujos autores estejam identificados por nome e sobrenomes e que não contenham expressões chulas e/ou palavras de baixo calão.

Em função do período de campanha eleitoral e em atenção à legislação vigente, o CORREIO de Uberlândia se reserva o direito de não publicar comentários com viés político/eleitoral direta ou indiretamente direcionados aos partidos, agentes políticos, candidatos ou não, tanto na versão impressa quanto na internet.